"acho que Emerson escreveu algures que uma biblioteca é uma espécie de caverna mágica cheia de mortos. e esses mortos podem renascer, podem voltar à vida quando abrimos as suas páginas." [BORGES, Jorge Luis in Este ofício de poeta]
Segunda-feira, 31 de Janeiro de 2011
John Barry: 1933 - 2011

 

O compositor John Barry, que ganhou cinco Óscares, morreu no domingo, aos 77 anos, em Nova Iorque, anunciou a família.

John Barry era conhecido pela música de onze filmes de James Bond mas foi noutros filmes que venceu os Óscares: “Uma Leoa Chamada Elsa” (1966), que lhe valeu dois Óscares e cujo tema foi retomado nos filmes de animação “Madagáscar”, “Um Leão no Inverno” (1968), “África Minha” (1985) e “Danças com Lobos” (1990). 
Barry nasceu em 1933 em York, Inglaterra, onde o pai era proprietário de três cinemas. Cresceu no meio de filmes e aprendeu a tocar piano e trompete antes de começar a fazer arranjos musicais. 
Em 1959 compôs para uma série da BBC e desde então foi autor de música, bandas sonoras e director musical de mais de 100 filmes e de muitas séries de televisão. 
Com Jane Birkin, com quem foi casado quatro anos, Barry teve uma filha, a fotógrafa Kate Barry. [publico.pt)



publicado por bibliotecadafeira às 15:04
link do post | comentar | favorito

hora do conto: senhor das palavras

 

No âmbito das actividades de promoção de leitura para a infância, o núcleo pedagógico da biblioteca procura, durante o mês de Fevereiro, um candidato para substituir o Senhor das Palavras.

O Senhor das Palavras habita na Biblioteca e é auxiliar dos escritores. Passa a vida a correr de linha em linha, a saltar de folha em folha, sublinhando ali e acolá, pondo pontos em muitos “is”. É um trabalho difícil. Está velho, cansado e quer passar o seu legado a um aprendiz. Quem será capaz de criar a frase que o possa convencer?

Para mais informações e marcações, contacte, por favor, a biblioteca municipal através do telefone 256377030/5, fax 256377031 ou email bmfeira@gmail.com.



publicado por bibliotecadafeira às 14:30
link do post | comentar | favorito

Sábado, 29 de Janeiro de 2011
"Canino" na biblioteca municipal

No âmbito da programação do Cineclube da Feira será exibido, na biblioteca municipal, a 30 de Janeiro, pelas 21h30, o filme "Canino" de Giorgos Lanthimos.

 



publicado por bibliotecadafeira às 10:55
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2011
“estórias de animais para meninos pequenos, pequeninos…”

 

No âmbito das actividades de promoção de leitura para a infância, o núcleo pedagógico da biblioteca apresenta, durante o mês de Fevereiro, “estórias de animais para meninos pequenos, pequeninos…” para crianças dos 3 aos 5 anos.

Vem descobrir connosco os mistérios, as aventuras, os poemas, as personagens, as viagens que guardamos para ti …

Para mais informações e marcações, contacte, por favor, a biblioteca municipal através do telefone 256377030/5, fax 256377031 ou email bmfeira@gmail.com.



publicado por bibliotecadafeira às 17:02
link do post | comentar | favorito

Sugestão de leituras

  

 

Título: Três desejos

Autora: Eva Mejuto

Ilustrador: Gabriel Pacheco

Editora: OQO

Sinopse: «Sonhar em noites de Lua, traz fortuna. Podeis pedir três desejos.», dizia o misterioso papel que desceu pela chaminé de um casal de velhinhos enquanto passavam o tempo a assar um naco de pão ao lume.

Dentes de ouro, roupas elegantes, um palácio de diamantes… É difícil escolher, e a velhinha achou que com um chouriço no pão pensaria muito melhor. De repente… zás! Apareceu-lhe o chouriço. Tinha gasto o seu primeiro desejo!

Quantos sonhos cabem em três desejos? Este conto adaptado da tradição oral portuguesa fala-nos do poder dos sonhos, da sorte que aparece e desaparece caprichosa perante nós. Fala-nos de como só o afecto e o desejo de persistir sonhando nos pode trazer felicidade.

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.

 



publicado por bibliotecadafeira às 10:46
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011
"Biutiful", "O amor é o melhor remédio", "Um ano mais", "72 Horas" e "Com Que Voz"

Estreiam, hoje, os filmes: "Biutiful" de Alejandro González Iñárritu com Javier Bardem, Maricel Álvarez, Hanaa Bouchaib; "O amor é o melhor remédio" de Edward Zwick com Jake GyllenhaalAnne HathawayOliver Platt; "Um ano mais" de Mike Leigh com Jim Broadbent, Lesley Manville, Ruth Sheen;  "72 Horas" de Paul Haggis com Russell CroweElizabeth Banks e Michael Buie; documentário "Com Que Voz" de Nicholas Oulman.

 

Biutuful

 

Sinopse:

A odisseia de Uxbal (Javier Bardem), um pai solteiro entre conflitos, que se perde e encontra pelos labirintos do submundo de Barcelona, e que, acima de tudo, tudo fará para salvar os seus filhos e reconciliar-se com um amor perdido enquanto a sua morte parece cada vez mais próxima. Amor e espiritualidade, crime e culpa, conjugam-se para levar Uxbal, com negócios escuros na exploração de imigrantes ilegais e uma suposta capacidade de comunicar com os morto, até ao seu destino de herói trágico... "É um requiem", resume o realizador Alejandro González Iñárritu ("Babel", "21 Gramas", "Amor Cão). O filme, nomeado nos EUA para um Globo de Ouro para melhor filme estrangeiro, valeu ao oscarizado Bardem o prémio para melhor actor no festival de Cannes. [cinecartaz.publico.pt]

 

"O amor é o melhor remédio"

 

Sinopse:

Jamie (Jake Gyllenhaal) vive a vida com um optimismo contagiante. São os anos 90 e, nos Estados Unidos, parece que qualquer um pode enriquecer de qualquer forma. Por isso, ao contrário do que a família deseja - que siga os passos do pai na medicina -, Jamie prefere tentar a vida como vendedor. Primeiro de electrodomésticos e depois como delegado de informação médica pela Pfizer, convencendo os médicos a prescreverem Zoloft em vez do famoso Prozac. E, pelo caminho, vai conquistando tudo o que é mulher à sua volta. Até se cruzar com Maggie (Anne Hathaway), uma jovem que cultiva a sua independência e liberdade de espírito. A atracção entre os dois é inevitável. E quando Jamie falha sexualmente com Maggie, terá a revelação da sua vida: o Viagra, acabadinho de chegar ao mercado e que promete resolver a sua vida sexual e também a profissional. Mas nem tudo será perfeito: assim que sente a relação a tornar-se mais séria, Maggie, a enfrentar o processo degenerativo da doença de Parkinson, decide afastar-se. A partir da autobiografia de Jamie Reidy, "Hard Sell: The Evolution of a Viagra Salesman", é dirigido por Edward Zwick ("Estado de Sítio", "O Último Samurai"). Gyllenhaal e Hathaway foram ambos nomeados para o Globo de Ouro pelos seus papéis. [cinecartaz.publico.pt]

 

"Um ano mais"

 

Sinopse:

Tom (o oscarizado Jim Broadbent) e Gerri (Ruth Sheen) atingiram a maturidade do amor e da felicidade, vivendo uma existência simples e descomplexada - ou, pelo menos, assim parece. O mesmo, porém, não se pode dizer daqueles que os rodeiam: uma amiga (Lesley Manville) a passar por uma crise de meia-idade, um amigo (Peter Wight) alcoólico em busca de uma nova oportunidade no amor, o filho (Oliver Maltman) com a nova namorada, o irmão de Tom, Ronnie (David Bradley), em depressão após a morte da mulher. Ao sabor das estações do ano, eles vão oferecendo conforto a quem os procura, entre comida, bebida e memórias, ao mesmo tempo que vão revelando um pouco mais sobre si próprios. Um filme de Mike Leigh, depois do premiado "Um Dia de Cada Vez" (2008), escolhido para integrar a Selecção Oficial de Cannes. Broadbent, Sheen e Manville foram indicados para os britânicos BAFTA (respectivamente: melhores actor, actriz e actriz secundária), assim como Leigh (melhor realizador). [cinecartaz.publico.pt]

 

"72 Horas"

 

Sinopse:

John e Lara Brennan (Russell Crowe e Elizabeth Banks) e o pequeno filho de ambos têm a perfeita vida familiar. Até que, numa manhã como tantas outras, a polícia entra de rompante na sua casa e detém Lara, acusada do assassínio do seu chefe. As provas são demasiado evidentes e, apesar de a mulher declarar a sua inocência, o tribunal delibera o veredicto de culpada. Durante três anos, John faz tudo para conseguir a sua mulher de volta. Mas, quando a última hipótese de recurso é negada, a esperança morre. E Lara, não aguentando a pressão do presídio e o afastamento do filho, tenta o suicídio. É então que John decide tirá-la da prisão. Custe o que custar... Acção dramática por Paul Haggis (o realizador de "Colisão" e argumentista de sucessos como "Cartas de Iwo Jima" ou "Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos"), num "remake" do filme francês "Pour Elle" (2008), de Fred Cavayé. [cinecartaz.publico.pt]

 

"Com Que Voz"

 

Sinopse:

Um retrato de Alain Oulman (1928-1990), o homem que revolucionou o fado ao lado de Amália Rodrigues, num documentário realizado pelo seu filho, Nicholas. Artista multifacetado, celebrizou-se pelo seu trabalho conjunto e continuado com a fadista, sendo responsável pela introdução de alguns dos maiores poetas e escritores lusos na canção nacional. Mas há mais Oulman para além de Amália: nascido em Lisboa, no seio de uma família judaica tradicional de origem francesa, foi perseguido pelo regime de Salazar - chegando a exilar-se em França -, foi agente e editor literário, engenheiro, fundou o grupo de teatro Lisbon Players e dirigiu Eunice Muñoz, João Perry ou Raul Solnado, foi editor de "Portugal Amordaçado" de Mário Soares... Homem apaixonado por causas, pela literatura e pela música, é recordado e comentado neste documentário por figuras como, entre muitos outros, Soares, Maria Barroso, Muñoz, Perry, Solnado, Manuel Alegre, Celeste Rodrigues, Fontes Rocha, Rui Vieira Nery, David Ferreira, Fernando Lopes, Jorge Sampaio, Zita Seabra ou Amos Oz. O título do filme reporta a um álbum histórico, assim baptizado pelo fado homónimo, musicado por Oulman a partir de Camões: "Com que voz chorarei meu triste fado / que em tão dura paixão me sepultou / Que mor não seja a dor que me deixou / o tempo, de meu bem desenganado." O doc recebeu o Prémio de Melhor Primeiro Filme Documentário de Longa-Metragem no Doclisboa 2009 e foi seleccionado para o Festival Internacional de Cinema de Ourense. [cinecartaz.publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 13:02
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 26 de Janeiro de 2011
Na mesa dos poetas

She walks in beauty

 

She walks in beauty, like the night

Of cloudless climes and starry skies;

And all that's best of dark and bright

Meet in her aspect and her eyes:

Thus mellow'd to that tender light

Which heaven to gaudy day denies.

 

One shade the more, one ray the less,

Had half impair'd the nameless grace

Which waves in every raven tress,

Or softly lightens o'er her face;

Where thoughts serenely sweet express

How pure, how dear their dwelling-place.

 

And on that cheek, and o'er that brow,

So soft, so calm, yet eloquent,

The smiles that win, the tints that glow,

But tell of days in goodness spent,

A mind at peace with all below,

A heart whose love is innocent!

 

Lord Byron

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.




publicado por bibliotecadafeira às 11:36
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 25 de Janeiro de 2011
Derek Walcott vence prémio de poesia T. S. Eliot

 

O Nobel da Literatura Derek Walcott venceu o prémio de poesia T. S. Eliot, noticia a agência de notícias espanhola Efe.

Valerie Eliot, viúva de T. S. Eliot, autor de “A Terra Baldia”, entregou ao galardoado um cheque de 17.500 euros (15.000 libras) numa cerimónia realizada na noite de segunda-feira no museu Wallace, de Londres.

Nascido em 1930 na ilha caribenha de Santa Lucía, Derek Walcott competia com o também prémio Nobel irlandês Seamus Heaney, o veterano da guerra do Iraque Brian Turner e Sam Willets, um poeta que ultrapassou uma adição à heroína de mais de 10 anos.

Walcott foi premiado pela coleção de poemas “White Egret”, uma profunda meditação sobre a morte e o passar do tempo, que a presidente do júri, a poeta Anne Stevenson, considerou “emocionante e tecnicamente impecável".

“É um livro completo do começo até ao final, cada poema pertence inteiramente ao mesmo. (Walcott) é um enorme poeta, um dos melhores poetas de língua inglesa”, disse Anne Stevenson.[diariodigital.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 15:37
link do post | comentar | favorito

“O Discurso do Rei” e “Indomável” lideram nomeações nos Óscares

Foram hoje anunciadas as nomeações para os Óscares de 2010 e “O Discurso do Rei”, de Tom Hooper, e “Indomável”, dos irmãos Coen, partem à cabeça, respectivamente com doze e dez nomeações.

“Cisne Negro”, “Último Round”, “A Origem”, “Os Miúdos Estão Bem”, “O Discurso do Rei”, “127 Horas”, “A Rede Social”, “Toy Story 3”, “Indomável” e “Despojos de Inverno” são os dez candidatos à estatueta de Melhor Filme de 2010, segundo os membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.
As cinco indigitadas para Melhor Actriz são Annette Bening (por “Os Miúdos Estão Bem”), Nicole Kidman (“Rabbit Hole”), Jennifer Lawrence (“Despojos de Inverno”), Natalie Portman (“Cisne Negro”) e Michelle Williams (“Blue Valentine – Só Tu e Eu”).
Para Melhor Actor, os cinco nomeados são Javier Bardem (por “Biutiful”), Jeff Bridges (“Indomável”), Jesse Eisenberg (“A Rede Social”), Colin Firth (“O Discurso do Rei”) e James Franco (“127 Horas”).

Na corrida de Melhor Realizador estão nomeados Darren Aronofsky (“Cisne Negro”), David O. Russell (“Último Round”), Tom Hooper (“O Discurso do Rei”), David Fincher (“A Rede Social”) e os irmãos Joel e Ethan Coen (“Indomável”).
“O Discurso do Rei”, que ficcionaliza a história verdadeira da ascensão ao poder do rei Jorge VI de Inglaterra e chega às salas portuguesas no próximo dia 10 de Fevereiro, recebeu um total de doze nomeações, entre as quais ainda Melhor Actor Secundário para Geoffrey Rush, Melhor Actriz Secundária para Helena Bonham Carter, e ainda Melhor Realização e Melhor Argumento Original.
“Indomável”, “remake” do “western” de Henry Hathaway “A Velha Raposa” com estreia marcada entre nós para 17 de Fevereiro, foi citado para dez prémios, entre os quais Melhor Realização e Melhor Argumento Adaptado.
Seguem-se na lista dos nomeados, ex-aequo com oito nomeações cada, “A Rede Social”, de David Fincher (actualmente em sala), e “A Origem”, de Christopher Nolan. O primeiro recebeu quatro das suas referências em categorias artísticas (Filme, Realização, Argumento Original e Actor); o segundo foi nomeado maioritariamente para categorias técnicas, com excepção de duas artísticas, Filme e Argumento Original.
Seguem-se “Último Round”, de David O. Russell (sete nomeações, incluindo três nas categorias de representação secundárias: Christian Bale, Amy Adams e Melissa Leo; estreia a 10 de Fevereiro), “127 Horas” de Danny Boyle (seis nomeações; estreia a 24 de Fevereiro); ex-aequo com cinco nomeações cada, “Cisne Negro”, de Darren Aronofsky (estreia a 3 de Fevereiro), e “Toy Story 3” de Lee Unkrich; e, ex-aequo com quatro nomeações, “Despojos de Inverno”, de Debra Granik (estreia a 24 de Fevereiro) e “Os Miúdos Estão Bem”, de Lisa Cholodenko.
Na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, os cinco nomeados são “Biutiful”, do mexicano Alejandro González Iñárritu (estreia na próxima quinta-feira); “Canino”, do grego Yorgos Lanthimos; “Fora da Lei”, do franco-argelino Rachid Bouchareb (actualmente em sala); “Havenen”, da dinamarquesa Susanne Bier; e “Incendies”, do canadiano Denis Villeneuve.
Os cinco documentários de longa-metragem nomeados, por seu lado, são “Exit Through the Gift Shop”, de Banksy, “Gasland”, de Josh Fox, “Inside Job – A Verdade da Crise”, de Charles Ferguson (actualmente em sala), “Restrepo”, de Tim Hetherington e Sebastian Junger, e “Waste Land”, de Lucy Walker. 
A cerimónia de entrega dos Óscares terá lugar em Los Angeles, a 27 de Fevereiro próximo. [publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 15:16
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 24 de Janeiro de 2011
Produtores premeiam "O Discurso do Rei"

"O Discurso do Rei", filme realizado por Tom Hooper e protagonizado por Colin Firth sobre o rei George VI de Inglaterra, foi eleito como o melhor filme de 2010 pelo Sindicato dos Produtores Americanos.

O Discurso do Rei deixou para trás concorrentes de peso, como A Rede Social (de David Fincher), Cisne Negro (de Darren Aronofsky), 127 Horas (de Danny Boyle), A Origem (de Christopher Nolan), Os Miúdos Estão Bem (de Lisa Cholodenko) e The Fighter - Último Round (de David O. Russel).

O filme de Tom Hooper já valeu um Globo de Ouro para o actor protagonista, tem também quatro nomeações para os prémios do Sindicato dos Actores de Cinema, que serão conhecidos no próximo dia 30, e está ainda nomeado para 14 prémios Bafta, que serão entregues a 13 de Fevereiro.

O Sindicato dos Produtores premiou ainda Toy Story 3 como melhor filme de animação e Waiting for Superman como melhor documentário. Na televisão, os premiados foram as séries Mad Men (drama), Modern Family (comédia) e The Pacific (minissérie). [dn.pt]

 



publicado por bibliotecadafeira às 12:56
link do post | comentar | favorito

Prémios de Edição Ler/ Booktailors em votação

Os finalistas dos II Prémios de LER/BOOKTAILORS, reconhecidos como canal de divulgação nacional para o mais importante concurso de design de livros do mundo, o World Book Design, já são conhecidos. Os vencedores, que serão divulgados durante o Correntes d´Escrita, no dia 25 de Fevereiro, na Póvoa de Varzim (pelas 22h00), vão representar Portugal na The Best Book Design From All Over the World. As votações terminam no dia 15 de Fevereiro.

A votação do público vale 20% do total dos votos e poderá ser por isso decisiva na definição de alguns vencedores.

Para conhecer os finalistas e poder votar, clique aqui. [diariodigital.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 12:53
link do post | comentar | favorito

Sábado, 22 de Janeiro de 2011
"O Verão da Boyita" na biblioteca municipal

No âmbito da programação do Cineclube da Feira será exibido, na biblioteca municipal, a 23 de Janeiro, pelas 21h30, o filme "O Verão da Boyita" de Julia Solomonoff.

  

 



publicado por bibliotecadafeira às 13:30
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 21 de Janeiro de 2011
Os nove candidatos a nomeados ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro

"Fora da Lei" - Rachid Bouchareb (Argélia)

 

 

"Incendies" - Denis Villeneuve (Canadá)

 

 

 

"Canino" - Yorgos Lanthimos (Grécia)

  

 

"Biutiful" - Alejandro González Iñárritu (México)

 

 

"Confessions" - Tetsuya Nakashima (Japão)

  

 

"Tambien la Lluvia" - Iciar Bollain (Espanha)

 

 

 

"Life, above all" - Oliver Schmitz (África do Sul)

  

 

"Simple Simon" - Andreas Ohman (Suécia)

 

 

"Haevnen" - Susanne Bier (Dinamarca)
 


tags:

publicado por bibliotecadafeira às 18:54
link do post | comentar | favorito

Sugestão de leituras

 

Título: Petra

Autora e ilustradora: Helga Bansch

Editora: OQO

Sinopse: «Gordura é formosura!», dizia-lhe a mãe, mas Petra não gostava da imagem que o espelho lhe devolvia. Ela queria ser alta, esbelta e elegante, e seria capaz de mover o céu e a terra para o conseguir. Porém, quando conheceu Fortunato…

Petra é uma pequena elefanta que rejeita o seu peso e sonha com um físico diferente.
Depois das suas expectativas terem ido por água abaixo, após as frustradas tentativas de emagrecer através de métodos que não se adaptavam à sua espécie, a elefanta que ainda conservava a esperança de encontrar a solução para o que considerava «um problema», começa uma viagem que lhe proporcionará um encontro muito especial, divertidas aventuras e, sobretudo, fará com que tome consciência de si mesma, aceite tranquilamente a sua condição natural e perceba o seu corpo de uma maneira objectiva.

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 16:40
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2011
Na mesa dos poetas

When we two parted

 

When we two parted

In silence and tears,

Half broken-hearted

To sever for years,

Pale grew thy cheek and cold,

Colder thy kiss;

Truly that hour foretold

Sorrow to this.

 

The dew of the morning

Sunk chill on my brow--

It felt like the warning

Of what I feel now.

Thy vows are all broken,

And light is thy fame:

I hear thy name spoken,

And share in its shame.

 

They name thee before me,

A knell to mine ear;

A shudder comes o'er me--

Why wert thou so dear?

They know not I knew thee,

Who knew thee too well:

Lond, long shall I rue thee,

Too deeply to tell.

 

I secret we met--

I silence I grieve,

That thy heart could forget,

Thy spirit deceive.

If I should meet thee

After long years,

How should I greet thee?

With silence and tears.

 

Lord Byron

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 11:57
link do post | comentar | favorito

Iraniano Jafar Panahi vai ser homenageado em Berlim

 

O realizador iraniano Jafar Panahi, condenado no seu país a seis anos de prisão por causa de um filme que estava a rodar e ainda não tinha terminado, vai ser homenageado na próxima edição do Festival de Cinema de Berlim com a exibição do seu anterior filme, "Offside" ("Fora de Jogo", 2006), a 11 de Fevereiro, Dia da Revolução Iraniana. Este é um gesto de solidariedade para com o realizador, que tinha sido convidado para fazer parte do júri do festival. Em sinal de protesto pela proibição da sua deslocação à capital alemã, a sua cadeira vai ser deixada simbolicamente vazia no momento da apresentação do júri internacional, que será presidido pela actriz italo-americana Isabelle Rossellini.

Jafar Panahi tornou-se conhecido fora do seu país com o filme "O Balão Branco" (1995), exibido no Festival de Cannes, tendo depois sido distinguido com o Leão de Ouro de Veneza por "O Círculo" (2000).
Também o realizador alemão Werner Herzog vai ter uma sessão especial em Berlim, com a estreia europeia do seu documentário em 3D, "Cave of Forgotten Dreams" (2010), produzido e rodado nos EUA. Ainda em 3D, será exibido o filme "Pina", com que Wim Wenders homenageia a coreógrafa alemã Pina Bausch, desaparecida em 2009. 
O 61.º Festival de Berlim, que começa a 10 e vai até 20 de Fevereiro, terá 22 filmes na selecção oficial, seis dos quais extra-concurso. O título de abertura será o do último filme dos irmãos Coen, "True Grit". 
São os seguintes os 16 filmes a concurso na Berlinale 2011: "The Turin Horse", de Béla Tarr (Hungria); "El Premio", de Paula Markovitch (México); "Nader and Simin, a Separation", de Asghar Farhadi (Irão); "Les Contes de la Nuit", de Michael Ocelot (França); "Margin Call", de J.C. Chandor (EUA); "Vem Chuva, Vem Sol", de Lee Yoon-ki (República da Coreia). "Schlafkrankheit", de Ulrich Köhler (Alemanha); "The Forgiveness of Blood", de Joshua Marston (EUA); "Um Mundo Misterioso", de Rodrigo Moreno (Argentina); "A um Sábado", de Alexander Mindadze (Rússia); "Our Grand Despair", de Seyfi Teoman (Turquia); "Coriulanus", de Ralph Fiennes (Reino Unido); "Oden", de Jonathan Sagall (Canadá); "The Future", de Miranda July (EUA); "Wer Wenn Nicht Wir", de Andres Veiel (Alemanha), e "Yelling To the Sky", de Victoria Mahoney (EUA). 
Extra-concurso, para além dos já citados filmes dos Coen e de Wim Wenders, serão também exibidos "Almania Willkommen in Deutschland", de Yasemin Samdereli (Turquia); "Les Femmes du 6ème Étage", de Philippe Le Guay (França); "Mein Bester Feind", de Wolfgang Murnberger (Áustria), e "Unknow", de Jaume Collet-Serra (Alemanha). (...) [publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 11:39
link do post | comentar | favorito

Actriz Leonor Silveira condecorada em França

 

A actriz Leonor Silveira, conhecida pela participação em vários filmes de Manoel de Oliveira, vai ser distinguida com a Ordem das Artes e Letras do governo francês.

Leonor Silveira receberá o Grau de Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França no dia 25 na embaixada deste país em Lisboa.
A condecoração corresponde a uma das mais altas distinções honoríficas da República Francesa e homenageia personalidades que se destacaram pela sua contribuição na difusão da cultura em França.
Antes de Leonor Silveira, esta condecoração foi atribuída, em anos recentes, a personalidades da cultura portuguesa como o escritor António Lobo Antunes, o encenador Joaquim Benite, a actriz Maria de Medeiros e as fadistas Mísia e Mariza.
Leonor Silveira nasceu em Lisboa a 28 de Outubro de 1970 e iniciou-se no cinema em 1988 em "Os Canibais", de Manoel de Oliveira, realizador com quem mais trabalhou ao longo das décadas seguintes.

Leonor Silveira foi condecorada em 1997 pelo então Presidente da República Jorge Sampaio com o Grau de Comendadora da Ordem de Mérito.
Em 1993, foi protagonista em "Vale Abraão", de Manoel de Oliveira, um ano depois de ter participado em "Das tripas coração", de Joaquim Pinto, e "Retrato de Família", de Luís Galvão Teles.
"O Convento" (1995), "O princípio da incerteza" (2002) e "Cristóvão Colombo - O Enigma" (2007) foram outros filmes de Manoel de Oliveira nos quais Leonor Silveira participou.
Desde 2007, Leonor Silveira é subdirectora do Instituto do Cinema e Audiovisual e tem participado como júri, com alguma regularidade, em festivais de cinema, entre os quais San Sebastian e Cannes. [publico.pt]

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 10:51
link do post | comentar | favorito

Filme de Hugo Vieira da Silva no Fórum do Festival de Berlim

A longa-metragem “Swans”, do realizador português Hugo Vieira da Silva, foi selecionada para o Fórum do 61.º Festival Internacional de Cinema de Berlim, anunciou a direção do certame, que começa a 10 de fevereiro.

O filme de Hugo Vieira da Silva passará em Berlim em estreia mundial e conta a história de um pai que viaja até Berlim com o filho adolescente para este conhecer a mãe que está em coma num hospital, o que acaba por provocar a confrontação do pai com um passado obscuro.

A obra mais recente de Hugo Vieira da Silva, que vive há vários anos na capital alemã, "evoca uma atmosfera entre o desejo e o anonimato, o receio da proximidade pessoal e a proximidade da morte", escreveu o site especializado The Match Factory.

O Fórum do festival de Berlim, que decorre este ano entre 10 e 20 de fevereiro, é considerado a secção mais experimentalista do festival e costuma selecionar filmes de vanguarda, ensaios e reportagens políticas de cineastas relativamente desconhecidos.

Trata-se de uma secção na qual não são atribuídos prémios oficiais da Berlinale, mas onde há numerosos júris independentes a distinguir os trabalhos exibidos.[diariodigital.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 10:40
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2011
Globos de Ouro premeiam “A Rede Social”

 

A 68ª edição dos Globos de Ouro foi generosa na repartição de prémios. Espalhou as honras por vários filmes e séries televisivas. Porém, “A Rede Social” acabou por se destacar, tendo ganho o Globo de Ouro de melhor filme (na categoria drama), melhor realizador (David Fincher), melhor argumento (Aaron Sorkin) e melhor banda sonora original (Trent Reznor e Atticus Ross).

O filme que conta a história da criação da rede social Facebook, baseado no best-sellerinternacional “The Accidental Billionaires: The Founding of Facebook”, da autoria de Ben Mezrich, tem varrido as cerimónias de prémios pré-Óscar. Ainda na sexta-feira à noite tinha vencido os prémios da Crítica norte-americana (Critics Choice Movie Awards).
Apesar de os Globos de Ouro serem considerados uma antecâmara dos Óscares, a verdade é que nem sempre os vencedores dos Globos coincidem com os galardoados com as estatuetas douradas. Isso mesmo aconteceu no ano passado, quando o filme “Avatar” e o seu realizador, James Cameron, venceram nos Globos de Ouro e depois cederam passagem, nos Óscares, ao filme “Estado de Guerra” e à sua realizadora, Kathryn Bigelow.
As honras de apresentação estiveram a cargo do corrosivo Ricky Gervais que, - segundo alguns convidados -, pisou o risco em mais que uma ocasião, nomeadamente quando apresentou o actor Bruce Willis como o pai de Ashton Kutcher - o actual marido da sua ex-mulher, Demi Moore, e bastante mais jovem que a companheira. Gervais acusou ainda as pessoas que decidem os vencedores dos Globos de Ouro de aceitarem subornos e identificou o actor Robert Downey Jr. como sendo mais conhecido pelas suas passagens pela clínica Betty Ford e pela prisão de Los Angeles que pelos seus filmes. Depois da piada, já nos bastidores, Downey Jr. comentou que "é óptimo quando alguém tem piada, mas é ainda melhor quando se consegue ter piada sem magoar ninguém".
Nas categorias de melhor desempenho dramático, os globos foram atribuídos a Natalie Portman (“Cisne Negro”) e Colin Firth, pelo seu desempenho em “O Discurso do Rei”, onde o britânico desempenha o papel do rei Jorge VI. Para Natalie Portman, que está grávida, esta foi a primeira vez que levou para casa um Globo de Ouro (por uma actuação principal).
Outro filme que tomou a dianteira foi o “Os Miúdos Estão Bem” (The Kids Are All Right), acerca de um casal de lésbicas que tenta reaproximar os filhos do pai biológico, venceu o Globo de Ouro de melhor filme na categoria musical ou comédia. Uma das suas protagonistas, Annette Bening, levou para casa a distinção de melhor actriz neste registo.
O Globo de Ouro de melhor desempenho masculino num filme de comédia ou musical foi entregue a Paul Giamatti pelo seu papel em “Barney's Version”.
Um dos grandes perdedores da noite foi o filme "A Origem", de Christopher Nolan. Oblockbuster de Verão - que conquistou muitos amantes da ficção científica e que foi um dos filmes mais referidos pelos internautas nas redes sociais durante o ano passado - estava nomeado em quatro categorias e acabou por não vencer nenhuma.
Na categoria televisão, o fenómeno Glee continua a fazer baixas. Para além de vencer na categoria de melhor série de comédia ou musical, o actor Chris Colfer venceu o Globo de Ouro de melhor actor secundário numa série de comédia ou musical pelo seu papel de adolescente assumidamente gay nesta saga de inadaptados. A actriz Jane Lynch - a temível treinadora das cheerleaders do liceu - venceu o Globo de melhor actriz secundária na mesma categoria. 
O aclamado Jim Parsons venceu finalmente o Globo de Ouro de melhor actor pelo seu desempenho da personagem Sheldon Cooper na sitcom "The Big Bang Theory”. O ano passado ganhou um Emmy pelo mesmo papel.
O Globo de Ouro de melhor actriz numa série de comédia ou musical foi para as mãos de Laura Linney em “The Big C”.
A série sobre gangsters passada na década de 1920, "Boardwalk Empire”, com o selo da HBO, venceu o Globo de Ouro de melhor série dramática e deu ainda o prémio de melhor actor a Steve Buscemi, que bateu favoritos como Jon Hamm (“Mad Men”) e Michael C. Hal (“Dexter”).
Katey Sagal venceu na categoria de melhor actriz em drama televisivo pela sua participação em "Sons of Anarchy”. O prémio de melhor mini-série foi para a produção francesa “Carlos”, que venceu as aclamadas “The Pacific” e "You Don't Know Jack”, em que Al Pacino - igualmente distinguido - desempenha o papel do polémico médico Jack Kervorkian. Claire Danes venceu o Globo de Ouro de melhor actriz pelo seu desempenho no telefilme "Temple Grandin", da HBO. [publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 15:01
link do post | comentar | favorito

Sábado, 15 de Janeiro de 2011
"O Rei da evasão" na biblioteca municipal

No âmbito da programação do Cineclube da Feira será exibido, na biblioteca municipal, a 16 de Janeiro, pelas 21h30, o filme "O Rei da evasão" de Alain Guiraudie.

 



publicado por bibliotecadafeira às 11:12
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011
Sugestão de leituras

 

Título: Titiritesa

Autor: Xerardo Quintiá

Ilustrador: Maurizio A. C. Quarello

Editora: OQO

Sinopse: Titiritesa vive no reino de Anteontem. A sua mãe, a rainha Mandolina, sonha ver a filha bem casada e tenta educá-la como uma cortesã refinada; mas a filha rejeita a vida convencional que lhe foi imposta e não corresponde às aspirações da mãe. Face à iminente chegada de uma preceptora, Titiritesa decide fugir do palácio para viver fantásticas e divertidas aventuras: visitar um inventor de palavras, confrontar-se com um monstro terrível, conhecer outra princesa de lábios doces...

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 14:10
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Quinta-feira, 13 de Janeiro de 2011
Finalistas do prémio literário Correntes d'Escrita

O júri do prémio literário Casino da Póvoa/Correntes d'Escrita seleccionou dez das 150 obras a concurso e o vencedor é conhecido a 23 de Fevereiro na sessão pública de abertura do encontro.

Este prémio, que tem um valor de 20 mil euros, distingue este ano a poesia. O júri selecionou os livros "Inexistência de Eva" (de Filipa Leal), "Deriva Anthero, Areia & Água" (Armando da Silva Carvalho), "Arado" (A. M. Pires Cabral), "Curso Intensivo de Jardinagem" (Margarida Ferra), "Guia de Conceitos Básicos" (Nuno Júdice), "Mais Espesso que a Água" (Luís Quintais), "Ecrophilia" (Jaime Rocha), "O Anel do Poço" (Paulo Teixeira), "O livro do sapateiro" (Pedro Tamen) e "O viajante sem sono" (José Tolentino Mendonça).

Segundo a organização, esta selecção resultou de cerca de 150 obras concorrentes de autores de língua portuguesa, castelhana e hispânica, com obras em português, editadas em Portugal (1.ª edição) entre Julho de 2008 e Junho de 2010. Ficaram excluídas as Obras Póstumas, Obras Completas e Compilações e Obras de Literatura Infanto-Juvenil. Também não foram admitidas a concurso obras de autores que tenham sido galardoados com o Prémio Literário Casino da Póvoa nos últimos seis anos.

A 22 de Fevereiro, dia anterior ao arranque da 12.ª edição do Correntes d'Escritas, o júri reúne pela última vez para decidir qual o vencedor do prémio, decisão que será anunciada no dia 23, na abertura do encontro. O prémio é entregue no dia 26, na sessão de encerramento.

A próxima edição do Correntes d'Escritas - Encontro de Escritores de Expressão Ibérica conta com a participação de cerca de 60 escritores e inclui, à semelhança de edições anteriores, uma série de outras iniciativas. [dn.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 15:29
link do post | comentar | favorito

"Chantrapas", "Xeque à Rainha", "Tron: O Legado" e "Complexo - Universo Paralelo"

Estreiam, hoje, os filmes "Chantrapas" de Otar Iosseliani com Dato TarielashviliTamuna KarumidzeFanny GoninGivi SarchimelidzePierre ÉtaixBulle Ogier; "Xeque à Rainha" de Caroline Bottaro com Sandrine BonnaireKevin KlineFrancis RenaudJennifer Beals; "Tron: O Legado" de Joseph Kosinski com  Jeff BridgesGarrett HedlundOlivia WildeBruce BoxleitnerMichael Sheen; "Complexo - Universo Paralelo" de Mário Patrocínio.

 

"Chantrapas"

 

 

Sinopse:

Niko (Dato Tarielashvili) é um jovem cineasta georgiano que se sente pouco compreendido no seu país. Resolve tentar a sorte em França onde, supostamente, a arte é levada a sério e os artistas respeitados. Mas nem mesmo longe da Geórgia o destino parece querer facilitar-lhe a vida...
O mais recente filme do cineasta georgiano radicado em França Otar Iosseliani ("Os Favoritos da Lua", "Bandidos", "Adeus, Terra Firme") é uma comédia gentil pensada como uma homenagem aos artistas da antiga União Soviética que viram a sua carreira cerceada pelo regime.
Apresentado fora de competição na última edição do Festival de Cannes. [cinecartaz.publico.pt]

 

"Xeque à Rainha"


 

Sinopse:

A viver numa pequena aldeia da Córsega, Hélène (Sandrine Bonnaire) é uma empregada de hotel com uma vida banal, casada, com uma filha, sem sonhos e sem grandes expectativas de mudança. Um dia, ao observar um casal a jogar xadrez num dos quartos do hotel onde trabalha, fica fascinada. Determinada a aprender todas as regras e todas as nuances possíveis do jogo, acaba ligada a Kröger (Kevin Kline), um homem mais velho que ali vive isolado, com quem acaba por passar horas a jogar, num silêncio quase religioso. Porém, a relação entre os dois e o próprio jogo fá-la-ão deixar-se embrenhar no xadrez de um modo tão obsessivo que tudo à sua volta perde o interesse, inclusivamente a sua vida familiar....
A primeira longa-metragem da realizadora alemã Caroline Bottaro baseia-se num romance de Bertina Henrichs. [cinecartaz.publico.pt]

 

"Tron: O Legado"

 

 

Sinopse:

Sam Flynn (Garrett Hedlund) é filho de Kevin Flynn (Jeff Bridges), um programador informático que, há duas décadas, desapareceu sem deixar rasto. Quando Alan Bradley (Bruce Boxleitner), o sócio do pai, recebe uma estranha mensagem de Kevin, decide informar Sam. Este, nas suas investigações, dá por si digitalizado e transportado para dentro do computador, encontrando-se num mundo cibernético comandado pelo despótico Clu (Jeff Bridges), onde o seu pai se encontra aprisionado há vinte anos... Os dois vão reencontrar-se e, ajudados por Quorra (Olivia Wilde), tentar regressar ao mundo real. 
Dos estúdios Disney e com recurso à mais recente tecnologia 3D, é a primeira obra de Joseph Kosinski, sequela do filme de 1982 "Tron" que foi a primeira obra a recorrer extensamente a efeitos visuais criados por computador. Jeff Bridges retoma o papel que criou no filme original. [cinecartaz.publico.pt]

 

"Complexo - Universo Paralelo"

 

 

Sinopse:

Mário e Pedro Patrocínio, dois irmãos portugueses, lançaram-se à aventura na favela mais violenta do Rio de Janeiro: o Complexo do Alemão que, em Dezembro de 2010, foi ocupado pelo Exército e polícia brasileiros, num combate conjunto contra o narcotráfico. Ali, durante três anos, eles observaram e filmaram as vidas do cidadão comum e do narcotraficante e a luta pela sobrevivência das cerca de 300 mil pessoas que o habitam. 
Um documentário seleccionado para o Festival do Rio de Janeiro e apresentado fora de competição no DocLisboa 2010, tendo vencido o Prémio Direitos Humanos no Artivist Film Festival, em Los Angeles. [cinecartaz.publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 15:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 12 de Janeiro de 2011
Na mesa dos poetas

There be none of beauty's daughters

 

There be none of Beauty's daughters

With a magic like Thee;

And like music on the waters

Is thy sweet voice to me:

When, as if its sound were causing

The charmed ocean's pausing,

The waves lie still and gleaming,

And the lull'd winds seem dreaming:

And the midnight moon is weaving

Her bright chain o'er the deep,

Whose breast is gently heaving

As an infant's asleep:

So the spirit bows before thee

To listen and adore thee;

With a full but soft emotion,

Like the swell of Summer's ocean.

 

Lord Byron

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 11:33
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 11 de Janeiro de 2011
Um português seleccionado para a Orquestra do YouTube

 

O site YouTube anunciou hoje os músicos que vão integrar a sua segunda orquestra sinfónica. Dos cinco portugueses a concurso, apenas o trompetista Pedro Silva foi seleccionado, mas o grupo conta com um brasileiro que estuda em Castelo Branco.

O trompetista Pedro Silva foi o único português seleccionado para a Orquestra Sinfónica do YouTube de 2011, mas esta não é a única participação confirmada com ligações a Portugal: o violinistra brasileiro Vasken Fermanian vive em Castelo Branco e também foi seleccionado. As prestações desses músicos continuam disponíveis na página do YouTube, onde foram votadas pela comunidade de utilizadores do site entre os dias 10 e 17 de Dezembro.

As audições para a Orquestra Sinfónica do YouTube de 2011 decorreram através da internet, em Outubro e Novembro de 2010, e embora o YouTube não tenha divulgado o número global de inscrições registadas, o júri seleccionou em Dezembro 336 finalistas, entre ao quais cinco jovens portugueses e um brasileiro a residir em Portugal.

O projecto foi lançado em 2009 como "a primeira orquestra colaborativa do mundo" e, na sua primeira edição, recebeu cerca de 3.000 candidaturas em vídeo, acabando por incluir entre os 94 vencedores o violinista português Tiago Santos, que em abril de 2009 participou no concerto de estreia do colectivo, no Carnegie Hall de Nova Iorque.

Depois de anunciados os seus integrantes, a estreia da formação está marcada para o dia 20 de Março, na casa da Ópera de Sydney. O concerto será novamente conduzido pelo maestro Michael Tilson Thomas, que, na apresentação da segunda edição da Orquestra Sinfónica do YouTube, em Nova Iorque, afirmou que o colectivo iria "explorar como é que a tradição de 1200 anos da música clássica pode entrar no reino da alta tecnologia". [dn.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 14:56
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 10 de Janeiro de 2011
Prémio Nadal para Clara Sánchez

 

A espanhola Clara Sánchez venceu o prémio Nadal, com o livro "Lo que esconde tu nombre", na 66.ª edição da distinção literária mais importante de Espanha, que pela primeira vez desde 1989 não atribuiu o prémio de finalista.

Uma história de terror psicológico sobre a ocupação da costa espanhola de Alicante por antigos membros nazis permitiu à escritora castelhana arrecadar os 18 mil euros do prémio.

A obra de base verídica (a presença de antigos nazis refugiados no anonimato da costa mediterrânica espanhola) centra-se em três personagens: Julián, um sobrevivente octogenário de Mathausen, que retomou o trabalho de um amigo que dedicou toda a sua vida a perseguir os nazis que os torturaram; e um casal de alemães a morar há vários anos na costa de Alicante. [expresso.pt]

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 12:57
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 7 de Janeiro de 2011
Sugestão de leituras

 

Título: As velhinhas

Autor: Charo Pita

Ilustradora: Fátima Afonso

Editora: OQO

Sinopse: Antónia e Filipa são duas velhinhas humildes que partilham tudo, apesar de o seu tudo ser quase nada: sopa de água de segunda a sábado e um esparguete a meias aos domingos. Mas são felizes ao contar com a sua maior riqueza: o afecto de uma pela outra.

Esta história demonstra que somos capazes de fazer coisas que parecem impossíveis pelas pessoas de quem gostamos, e que merece a pena chegar a velhos, mas muito velhos, para aproveitar tal como elas os grandes prazeres da vida — um grande banquete — ou os pequenos — um diminuto feijão.

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 15:13
link do post | comentar | favorito

"O escritor fantasma" na biblioteca municipal

No âmbito da programação do Cineclube da Feira será exibido, na biblioteca municipal, a 09 de Janeiro, pelas 21h30, o filme "O escritor fantasma" de Roman Polanski.

 



publicado por bibliotecadafeira às 12:15
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 6 de Janeiro de 2011
Malangatana: 1936 - 2011

 

Malangatana vendeu os primeiros quadros há 50 anos e com o dinheiro arranjou uma casa e foi buscar a família para Maputo. Meio século depois, morreu um homem do mundo, um amigo de Portugal e um dos moçambicanos mais famosos.

Malangatana Valente Ngwenya nasceu a 06 de junho de 1936 em Matalana, uma povoação do distrito de Marracuene, às portas da então Lourenço Marques, hoje Maputo. Foi pastor, aprendiz de curandeiro (tinha uma tia curandeira) e mainato (empregado doméstico).

A mãe bordava cabaças e afiava os dentes das jovens locais (uma moda da altura), o pai era mineiro na África do Sul. Com a mãe doente e um pai ausente, Malangatana foi viver com o tio paterno e estudou até à terceira classe. Só. Aos 11 anos começou a trabalhar porque já era "adulto" e podia fazer tudo, de cuidador de meninos a apanha-bolas no clube de ténis.

Nos últimos 50 anos foi também muito mais do que pintor. Fez cerâmica, tapeçaria, gravura e escultura. Fez experiências com areia, conchas, pedras e raízes. Foi poeta, ator, dançarino, músico, dinamizador cultural, organizador de festivais, filantropo e até deputado, da FRELIMO, partido no poder em Moçambique desde a independência.

Ainda que o seu lado político seja o menos conhecido, Malangatana chegou a estar preso, pela PIDE, acusado de pertencer ao então movimento de libertação FRELIMO, sendo libertado ao fim de 18 meses, por não se provar qualquer vínculo à resistência colonial.

Na verdade Malangatana viveu parte da sua adolescência junto dos colonos portugueses, os mesmos que o iniciaram na pintura, primeiro o artista plástico e biólogo Augusto Cabral (morreu em 2006) e depois o arquiteto Pancho Guedes.

Augusto Cabral era sócio do Clube de Ténis, onde trabalhava um tio do pintor. "Um apanha-bolas nas partidas de ténis era um tal Malangatana Ngwenya (crocodilo), que, no fim de uma tarde de desporto, se acercou de mim para me pedir se, por acaso, eu não teria em casa um par de sapatilhas velhas que lhe desse", contou Augusto Cabral em 1999.

O pintor iria "nascer" nessa noite, quando Malangatana foi a casa de Augusto Cabral e o viu a pintar um painel. "Ensine-me a pintar", pediu. E Augusto Cabral deu-lhe tintas, pincéis e placas de contraplacado. "Agora pinta", disse ao jovem, ao que este perguntou: "pinto o quê?". "O que está dentro da tua cabeça", respondeu Augusto Cabral.

O jovem viria a ter também o apoio de outro português, o arquiteto Pancho Guedes, que lhe disponibilizou um espaço na garagem de sua casa de Maputo e lhe comprava dois quadros por mês, a preços inflacionados. Em poucos meses Malangatana quis fazer uma exposição e foi, para espanto confesso de Augusto Cabral, um enorme sucesso.

Nas pinturas, nessa altura e sempre, Matalana, onde nasceu e cresceu e onde frequentou a escola da missão suíça de até à segunda classe. Menino pastor, agricultor, caçador de ratos com azagaia, viria a estudar só mais um ano. Fica-lhe Matalana no pincel, a opressão colonial, a guerra civil. A paz reflecte-se numa pintura mais otimista e nos últimos anos foi um carácter mais sensual que a caracterizou.

E sempre o quotidiano. "Há sempre um manancial de temas a abordar. São os acontecimentos do mundo, às vezes tristes, outras alegres, e eu não fico indiferente. Seja em Moçambique, ou noutra parte do mundo, a dor humana é a mesma", disse numa entrevista à Lusa, ainda recentemente.

Já homem, com a pintura como profissão, confessou ao jornalista Machado da Graça que sentia grande aproximação com os artistas portugueses desde os anos 70, quando foi pela primeira a Portugal, como bolseiro da Gulbenkian.

Entre 1990 a 1994 foi deputado da FRELIMO e ao longo de décadas ligado a causas sociais e culturais. Foi um dos criadores do Museu Nacional de Arte de Moçambique, dinamizador do Núcleo de Arte, colaborador da UNICEF e arquiteto de um sonho antigo, que levou para a frente, a criação de um Centro Cultural na "sua" Matalana.

E exposições, muitas, em Moçambique e em Portugal mas também mundo fora, na Alemanha, Áustria e Bulgária, Chile, Brasil, Angola e Cuba, Estados Unidos, Índia... Tem murais em Maputo e na Beira, na África do Sul e na Suazilândia, mas também em países como a Suécia ou a Colômbia.

Contando com as obras em museus e galerias públicas e em coleções privadas, Malangatana vai continuar presente praticamente em todo o mundo, parte do qual conheceu como membro de júri de bienais, inaugurando exposições, fazendo palestras, até recebendo o doutoramento honoris causa, como aconteceu recentemente em Évora, Portugal.

Foi nomeado Artista pela Paz (UNESCO), recebeu o prémio Príncipe Claus, e de Portugal levou também a medalha da Ordem do Infante D.Henrique. [dn.pt]

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 16:09
link do post | comentar | favorito

"O Turista", "Que mais quero eu" e "O preço da traição"

Estreiam, hoje, os filmes: "O Turista" de Florian Henckel von Donnersmarck com Johnny DeppAngelina Jolie e Paul Bettany; "Que mais quero eu" de Silvio Soldini com  Alba RohrwacherPierfrancesco FavinoGiuseppe BattistonTeresa SaponangeloGisella Burinato; "O preço da traição" de Atom Egoyan com Julianne MooreLiam NeesonAmanda Seyfried.

 

"O Turista"

 

Sinopse:

Frank Tupelo (Johnny Depp), um professor de matemática americano em viagem pela Europa, é abordado por uma belíssima mulher no comboio que liga Paris a Veneza. Elise Clifton-Ward (Angelina Jolie) sedu-lo sem apelo nem agravo. Mas o que parece o florescer de um romance rapidamente se transforma numa perseguição que escapa ao seu entendimento e que envolve simultaneamente a Interpol e um perigoso gangue russo. E a misteriosa Elise parece querer esconder mais do que um passado sinuoso...
Esta comédia policial adapta o filme de Jérôme Salle "Anthony Zimmer", com Angelina Jolie e Johnny Depp nos papéis criados originalmente por Sophie Marceau e Yvan Attal. Trata-se da segunda longa-metragem do cineasta alemão Florian Henckel von Donnersmarck, cuja aclamada estreia "A Vida dos Outros" venceu em 2007 o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. [cinecartaz.publico.pt]

 

"Que mais quero eu"

 

Sinopse:

A viver nos subúrbios de Milão, Anna (Alba Rohrwacher) sempre fez o que dela era esperado. A sua vida diária resume-se ao trabalho de contabilista, a uma relação acomodada com Alessio (Giuseppe Battiston), aos amigos de sempre e familiares mais próximos. Quando, casualmente, se cruza com Domenico (Pierfrancesco Favino), que trabalha numa empresa de catering, redescobre o poder transformador do amor e do desejo. Mas Domenico é casado e tem dois filhos, e a relação entre eles acaba por se resumir a encontros fortuitos num motel. E, à medida que o tempo passa e os seus sentimentos evoluem, também a consciência de transgressão, responsabilidade e culpa adquire novas proporções...[cinecartaz.publico.pt]

 

"O preço da traição"

 

Sinopse:

Catherine e David Stewart (Julianne Moore e Liam Neeson) parecem ser o casal perfeito. Com uma vida económica estável e um filho adolescente que é o seu orgulho, nada parece pôr em causa a sua felicidade. Nada - excepto os ciúmes de Catherine, uma sombra a pairar sobre o seu casamento. Para testar a veracidade das suas suspeitas ela decide contratar Chloe (Amanda Seyfried), uma prostituta de luxo, para seduzir o seu marido, seguindo à risca as instruções que Catherine lhe dá. Mas depressa a situação escapa ao seu controlo...
Um "thriller" erótico realizado pelo cineasta canadiano Atom Egoyan ("Exotica", "O Futuro Radioso", "A Viagem de Felícia") e escrito por Erin Cressida Wilson ("A Secretária", "Fur - Uma Biografia Imaginária de Diane Arbus"), adaptando o filme francês de Anne Fontaine "Nathalie...". Julianne Moore, Liam Neeson e Amanda Seyfried assumem os papéis que Fanny Ardant, Gérard Depardieu e Emmanuelle Béart interpretaram em 2003 no filme original. [cinecartaz.publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 12:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

a biblioteca na Internet
homepage
catálogo
catálogo rcbe
facebook
contactos
mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28


posts recentes

Caros (as) leitores (as),

Autor da semana: Miguel M...

Estreias - cinema

Na mesa dos poetas

Sugestão de leituras

Músico da semana: Eric Cl...

Autor da semana: Flávio C...

Estreias - cinema

Na mesa dos poetas

Sugestão de leituras

Autor da semana: Afonso C...

Estreias - cinema

Juan Gelman: 1930 - 2014

Sugestão de leituras

Músico da semana: Bruce S...

Autor da semana: Gastão C...

Estreias - cinema

Na mesa dos poetas

Sugestão de leituras

Músico da semana: Juana M...

Autor da semana: Mário Za...

Estreias - cinema

Músico da semana: Anna Ca...

Autor da semana: José Ben...

Aviso

Músico da semana: Gisela ...

Autor da semana: Maria Ve...

Estreias - cinema

Na mesa dos poetas

Sugestão de leituras

tags

todas as tags

arquivos

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

links
Contador
subscrever feeds