"acho que Emerson escreveu algures que uma biblioteca é uma espécie de caverna mágica cheia de mortos. e esses mortos podem renascer, podem voltar à vida quando abrimos as suas páginas." [BORGES, Jorge Luis in Este ofício de poeta]
Sexta-feira, 30 de Agosto de 2013
Autor da semana: Pepetela

 

Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, conhecido pelo pseudónimo de Pepetela, (Benguela, 29 de Outubro de 1941) é um escritor angolano.

A sua obra reflete sobre a história contemporânea de Angola, e os problemas que a sociedade angolana enfrenta. Durante a longa guerra, Pepetela, angolano de ascendência portuguesa, lutou juntamente com MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola) para libertação da sua terra natal. O seu romance, Mayombe, retrata as vidas e os pensamentos de um grupo de guerrilheiros durante aquela guerra. Yaka segue a vida de uma família colonial na cidade de Benguela ao longo de um século, e A Geração da Utopia mostra a desilusão existente em Angola depois da independência.  [ler mais]

 

Novo livro de Pepetela é publicado a 10 de Setembro


 

O novo romance de Pepetela, "O Tímido e as Mulheres", é publicado no dia 10 de Setembro, anunciou a editora, que projeta lançar igualmente uma antologia de Natália Correia e a integral dos contos de António Tabucchi.

Sobre o livro do angolano Pepetela, a editora afirma que a narrativa decorre na Luanda contemporânea, e tem como protagonistas Heitor, Mariza e Lucrécio. "Heitor" é "um escritor em início de carreira, o tímido", Marisa é a "responsável por um programa de rádio de grande audiência, que a todos encanta e seduz", e o seu marido, Lucrécio, "uma mente brilhante aprisionada numa cadeira de rodas", lê-se no comunicado da editora, as Publicações D. Quixote. […]

"O tímido e as mulheres" sucede a "A Sul. O Sombreiro", romance de Pepetela editado em 2011.

Pepetela é o pseudónimo literário de Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, nascido em Benguela, no sul de Angola, há 71 anos. […] [noticiasaominuto.com]

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 16:30
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 29 de Agosto de 2013
Estreias - cinema

 

Estreiam, hoje, os filmes: “Eu venho com a chuva” de Tran Anh Hung com de Josh HartnettTran Nu Yên-KhêByung-hun Lee; “A vida de outra mulher” de Sylvie Testud com Juliette BinocheMathieu KassovitzAure Atika; “Noiva prometida” de Rama Burshtein com Hadas YaronYiftach KleinIrit Sheleg; “Trip de família” de Rawson Marshall Thurber com Jennifer AnistonEmma RobertsJason Sudeikis; “Fuga do planeta Terra” de Cal Brunker com as vozes de Brendan FraserRob CorddryJessica Alba; “RPG” de Tino NavarroDavid Rebordão com Rutger HauerAlix Wilton ReganDafne Fernández; “Kick-Ass 2: Agora é a doer” de Jeff Wadlow com Chloë Grace MoretzAaron Taylor-JohnsonJim CarreyLyndsy Fonseca; o documentário “One Direction: This is us” de Morgan Spurlock.

 

“Eu venho com a chuva”

Sinopse:

Dois anos depois de matar Hasford (Elias Koteas), um serial killer que aterrorizava a cidade de Los Angeles, o ex-polícia Kline (Josh Hartnett) trabalha como detective privado. Um dia, é contactado por um milionário de Hong Kong que quer contratar os seus serviços para encontrar Shitao (Takuya Kimura), o filho que desapareceu misteriosamente. Lá chegado Kline vai contar com a ajuda de Meng Zi (Shawn Yue), um ex-colega que agora trabalha na polícia local. Nessa busca, o seu caminho cruza-se com Su Dongpo e Lili (Lee Byung-Hun e Trần Nữ Yên Khê), um perigoso delinquente e sua bela namorada. Porém, Kline continua preso ao passado, assombrado por pesadelos recorrentes com Hasford, que parece dominar a sua mente e afastá-lo cada vez mais do objectivo da sua missão.
Um "thriller" policial de ambiente "noir", realizado pelo aclamado franco-vietnamita Tran Anh Hung depois de "O Odor da Papaia Verde" (1993), "Cyclo " (1995), "Noruwei no mori" (2010). [cinecartaz.publico.pt]

 

“A vida de outra mulher”

Sinopse:

Na véspera do seu 26.º aniversário, a alegre e despreocupada Marie (Juliette Binoche) conhece Paul (Mathieu Kassovitz), com quem se envolve e passa uma apaixonada noite de amor. Ao acordar, sem memória, percebe que se passaram 15 anos e que hoje, já com 40, ela é a mulher de Paul com quem teve um filho (Yvi Dachary-Le Béon) e que se tornou numa executiva de sucesso. Porém, parece que o tempo que dispensou à carreira teve consequências desastrosas ao nível dos seus relacionamentos, de tal modo que a sua relação com o marido e filho está longe de poder ser considerada perfeita. Consciente que, apesar de tudo, concretizou os mais importantes sonhos da juventude e que possui tudo para ser verdadeiramente feliz, Marie decide recuperar o amor de Paul e de todos à sua volta, antes que as perdas se tornem irremediáveis.
Uma história dramática sobre as opções e oportunidades perdidas, que marca a estreia na realização da actriz Sylvie Testud e que se inspira no romance La vie d'une autre, escrito, em 2007, por Frederique Deghelt. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Noiva prometida”

Sinopse:

Shira (Hadas Yaron), de 18 anos, pertence a uma família judaica ortodoxa de Telavive, Israel. De casamento marcado com o rapaz por quem está apaixonada, ela está exultante com a vida que a espera. Mas essa felicidade é assombrada quando Esther (Renana Raz), a sua irmã mais velha, morre a dar à luz o seu primeiro filho. O luto toma conta da família e o casamento é adiado. É neste contexto que Yochai (Yiftach Klein), viúvo de Esther, recebe uma proposta de casamento com uma viúva belga. Quando a mãe das raparigas (Irit Sheleg) descobre que o genro talvez tenha de sair do país com o bebé, propõe a união entre Shira e Yochay. Apesar de relutante em relação a esta união, que a vai impedir de realizar o seu sonho de criança, a jovem compreende que este casamento será a solução para homenagear a irmã e manter a família unida.
Em competição na edição de 2012 do Festival de Cinema de Veneza, um filme dramático que marca a estreia na longa-metragem da realizadora Rama Burshtein (israelita nascidaem Nova Iorque), que tenta mostrar, a partir de dentro, as complexidades da vida de uma comunidade judaica ortodoxa, à qual pertence. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Trip de família”

Sinopse:

Há já vários anos ligado ao tráfico de marijuana, David Burke (Jason Sudeikis) contenta-se com um prudente e discreto negócio que lhe dê para os gastos sem comprometer em demasia a sua dignidade. Tudo lhe corre de feição até ao infeliz dia em que é atacado por um grupo de jovens que lhe rouba toda a mercadoria. Assim, de um momento para o outro, ele fica com uma dívida substancial a Brad (Ed Helms), o seu pouco escrupuloso fornecedor. Como pagamento, Brad propõe-lhe que atravesse a fronteira com o México e lhe traga um carregamento de droga. Apesar de relutante, David compreende que uma resposta negativa a um desejo de alguém tão pouco amistoso não seria a opção mais inteligente. Desta forma, arquitecta o que lhe parece um plano infalível: criar uma família fictícia, alugar uma roulotte e seguir viagem, rumo ao desconhecido. Com a colaboração mais ou menos voluntária de Rose (Jennifer Aniston), uma stripper cheia de personalidade, Kenny (Will Poulter), o vizinho adolescente, e a rebelde Casey (Emma Roberts), David aventura-se até ao México, com a sua nova "prole". É desta forma que nascem os Miller, caravanistas temperamentais cujas intenções vão um pouco mais longe do que umas simples férias familiares....
Uma comédia negra que conta com Rawson Marshall Thurber ("Uma Questão de... Bolas", "Os Mistérios de Pittsburgh") na realização. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Fuga do planeta Terra”

Sinopse:

O corajoso Scorch (Voz de Brendan Fraser) é uma verdadeira lenda, amado e respeitado por todos os habitantes do planeta Baab, algo que o deixa profundamente orgulhoso. Juntamente com seu jovem irmão Gary (Ron Corddry), o ajuizado e recatado chefe de controlo de missões na agência espacial AAEB, ele especializou-se em todos os tipos de resgates. É então que, numa missão ao distante e ameaçador planeta Terra, Scorch é apanhado numa armadilha orquestrada pelo diabólico Shanker, o seu inimigo mais feroz. E é assim que Gary se vê forçado a ultrapassar os seus medos e assumir ele próprio o papel de herói, salvando o irmão de uma morte certa e agonizante.
Uma comédia de animação intergaláctica que conta com a realização de Cal Brunker. Na versão dobrada em português contaremos com as vozes de David Fonseca e Maria de Vasconcelos, entre outros. [cinecartaz.publico.pt]

 

“RPG”

Sinopse:

Para além da sua idade bastante avançada, o multimilionário Steve Battier encontra-se numa fase terminal de uma doença crónica. Decidido a aproveitar da melhor maneira o pouco tempo que lhe resta, procura os serviços de uma empresa que, em troca de uma avultada quantia, lhe oferece uma experiência única: um jogo de vida ou morte onde, durante dez horas, voltará a ter um corpo jovem e saudável. Nesse jogo, de regras inflexíveis, ele terá como adversários outras nove pessoas que, tal como ele, terão como principal objectivo a sobrevivência, mesmo que isso signifique a morte de cada um dos outros. Habituado a lutar pela vida todos os dias, Steve vai fazer de tudo para se tornar o vencedor...
Um filme de ficção-científica realizado por David Rebordão ("A Curva"), escrito e produzido por Tino Navarro que conta com a participação do veterano Rutger Hauer (conhecido pelos seus papéis em "Blade Runner: Perigo Iminente", "Terror na Auto-Estrada" ou "A Lenda do Santo Bebedor") e de Alix Wilton Regan, Dafne Fernández, Soraia Chaves, Victória Guerra, Nik Xhelilaj, Cian Barry, Chris Tashima, Cloudia Swann, Pedro Granger e Débora Monteiro, entre outros. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Kick-Ass 2: Agora é a doer”

Sinopse:

A pequena Hit Girl e o jovem vigilante Kick-Ass (de novo Chloë Grace Moretz e Aaron Taylor-Johnson) esforçam-se por deixar o passado para trás. Assim, enquanto Mindy e Dave, eles vão à escola como tantos outros adolescentes, tentando adequar-se a um mundo monótono e, acima de tudo, cheio de arbitrariedades. Porém, convicto que não conseguirá aceitar aquele destino, Dave decide voltar à sua vida de justiceiro e recorrer ao Coronel Stars and Stripes (Jim Carrey), um ex-criminoso de personalidade peculiar que agora se dedica a combater o crime ao lado dos "Justice Forever", uma nova liga de super-heróis. Porém, quando eles são capturados pelo terrível Red Mist (Christopher Mintz-Plasse), agora autodenominado de "The Motherfucker", apenas a intrépida Hit Girl, sempre pronta para a acção, pode impedir a morte do amigo e o fim daqueles super-heróis...
Sequela de um dos maiores sucessos de bilheteira de 2010, um irreverente filme de acção que agora nos chega pelas mãos do realizador Jeff Wadlow ("Até ao Último Combate") e que promete encher as medidas aos milhares de fãs de todo o mundo. [cinecartaz.publico.pt]

 

“One Direction: This is us”

Sinopse:

Em 2010, os jovens ingleses Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Zayn Malik e o irlandês Niall Horan, participantes na 7.ª edição do programa X-Factor, formaram uma boysband, acabando em terceiro lugar da competição. O sucesso foi de tal modo esmagador que, logo após o fim do programa, tinham assinado um contrato de dois milhões de dólares com a Syco, com quem gravaram, em 2011, o seu álbum de estreia, intitulado Up All Night, cujas vendas atingiram as cinco milhões de cópias pelo mundo fora. Em 2012, o álbum Take Me Home estreou na 1.ª posição em mais de 40 países, conquistando o 1.º lugar na Billboard 200 (lista que classifica os 200 álbuns e EP mais vendidos nos EUA, publicado semanalmente pela revista Billboard). Desde então, os One Direction têm andado pelo mundo, em concertos esgotados que arrastam multidões.
"This Is Us", realizado pelo documentarista Morgan Spurlock, contem imagens de concertos ao vivo e de  bastidores, revelando as partes mais importantes das suas vidas, antes e depois da fama. [cinecartaz.publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 15:31
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 28 de Agosto de 2013
Na mesa dos poetas

A moça e a velha


«– Você, oh tia Maria,
Está velha como um caco,
nem pode sair de dia
Mais feia do que um macaco!
Já não faz meia, nem fia!
Toda vestida de trapos,
Quase cega, manca e surda,
Ninguém lhe inveja a existência,
Causa nojo aos próprios sapos,
E já não vive, chafurda
Nas vasas da decadência,
Como diz o nosso abade.»

Disse-lhe a velha, serena:
«– Já fui isso que tu és,
E na minha mocidade
Dançava, e até com graça;
Chamou-me um vate açucena,
E vi muitos a meus pés
Cá na aldeia, e na cidade,
Mas na vida tudo passa.»

«Sim, pareço-te uma bruxa,
E não sei que mais, um grou;
A minha perna estrebucha,
E provoco a hilaridade,
Mas, ouve isto que te digo:
Talvez, para teu castigo,
Não chegues à minha idade,
Nem a ser isto que sou!»

João Penha

in “Últimas Rimas”, Renascença Portuguesa, 1919



publicado por bibliotecadafeira às 10:24
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 27 de Agosto de 2013
Sugestão de leituras

 

Titulo: O livro vermelho

Ilustradora: Barbara Lehman

Editora: Ana Paula Faria

Sinopse:

Este livro, criado por uma designer americana, é um livro de imagens, sem texto: uma história sem palavras, um livro mudo, cujo texto visual guarda em si muitas histórias, todas as que queiramos contar, tantas e tantas vezes, e sempre diferentes. A narrativa visual é sequenciada: um começo, um desenrolar de acontecimentos, um momento fulcral e um final que sugere um recomeço. Utilizando elementos figurativos claros e realistas, a autora desafia o leitor a contar uma história cheia de fantasia: um livro vermelho que possibilita a duas crianças de raça e lugares claramente diferentes conhecerem-se e encontrarem-se. Um desafio à sua imaginação: Livro Vermelho, um livro-personagem, mágico... Um livro sobre um livro!

 

Títulos disponíveis, deste autor, na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 15:36
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 26 de Agosto de 2013
Músico da semana: Justin Timberlake

 

 

Justin Randall Timberlake (Memphis, Estados Unidos, 31 de janeiro de 1981) é um cantor-compositor, ator e empresário. Alcançou a fama nos anos 90 ao tornar-se um membro da boyband *NSYNC. 
Com seus dois primeiros álbuns solo, Justified (2002) e FutureSex/LoveSounds (2006), estabeleceu-se como um dos cantores mais bem sucedidos, com cada um vendendo mais de sete milhões de cópias mundialmente. [ler mais]

 

 

 

Justin Timberlake brilha nos MTV Video Music Awards

 

Cantor norte-americano levou quatro prémios para casa, incluindo o de Melhor Vídeo do Ano, e participou no regresso aos palcos dos 'N Sync.

Justin Timberlake foi a grande estrela da noite de domingo na gala dos MTV Video Music Awards 2013. Em Nova Iorque, o cantor norte-americano foi distinguido com quatro prémios, incluindo o de Melhor Vídeo do Ano, para «Mirrors», e o troféu especial de carreira - o Michael Jackson Video Vanguard Award. 
O artista de 32 anos protagonizou outro dos grandes momentos da cerimónia, ao participar no breve regresso aos palcos da sua antiga banda, os 'N Sync. Com JC Chasez, Chris Kirkpatrick, Joey Fatone e Lance Bass, Timberlake cantou três êxitos da boy band - «Gone», «Girlfriend» e «Bye Bye Bye». [tvi24.iol.pt]

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 18:52
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 23 de Agosto de 2013
Autor da semana: Elmore Leonard

 

Elmore John Leonard Jr., mais conhecido como Elmore Leonard (Nova Orleans,11 de outubro de 1925 - 20 de agosto de 2013) foi um escritor e argumentista. [ler mais]

 

 

 

 

  

Elmore Leonard, o escritor de policiais que às vezes dava ao criminoso o papel principal

 

O escritor de policiais norte-americano Elmore Leonard morreu na manhã desta terça-feira,em Detroit. Anotícia foi dada através da página de Facebook do autor onde Greg Sulter, o homem que faz a pesquisa para as suas obras, escreveu : “Este é o post que eu temia ter de escrever e que vocês temiam ler. Elmore morreu às 7h15 desta manhã por causa de complicações depois do seu AVC. Estava na sua casa rodeado pela sua querida família.”

O escritor, de 87 anos, a quem chamavam o “Dickens de Detroit”, tinha sofrido um Acidente Vascular Celebral (AVC) no início de Agosto e estava a tentar recuperar.

Tal como o crítico José Riço Direitinho escreveu no Ípsilon quandoUnha com Carne, o seu 43º romance, saiu em Portugal na Teorema, o escritor era “na opinião de muitos, o maior autor vivo de romances policiais”. Admirado por escritores como Saul Bellow ou Martin Amis, começou por escrever westerns na década de 1950 e alguns dos seus títulos tornaram-se lendários depois de adaptados ao cinema, como Valdez is Coming, com Burt Lancaster,Joe Kidd, com Clint Eastwood, Hombre, com Paul Newman, e Mr. Majestyk com Charles Bronson.

Foi na década de 1970, quando as editoras que publicavamwesterns começaram a falir, que Leonard se iniciou nos policiais, alargando então as fronteiras do género que já tinha tido o seu apogeu com Dashiell Hammett e Raymond Chandler: "Os criminosos passaram a ser muitas vezes as personagens principais, o detective e o móbil do crime passaram para segundo plano; além disso, tornou os romances mais despojados de descrições e os diálogos adquiriram uma nova força. Eles são, de facto, o mais importante nos romances de Elmore Leonard. A história progride a partir das falas”, escreveu o crítico José Riço Direitinho. "Não há a voz de um narrador a levar a acção para a frente, são as personagens que dizem, e por vezes de um modo bastante inesperado, o que é que tem que acontecer a seguir. Todos os detalhes existem para fazer avançar a história."

Quanto aos diálogos, ou melhor, quanto à sua linguagem e importância, o escritor desmitificava, lembrou o crítico: "Numa entrevista radiofónica Leonard disse, depois de lhe ser perguntado se andava muito pela rua a ouvir como as pessoas falavam: 'Não preciso de andar pela rua. Andei muito em bares de jazz nos anos 40, encontrei todo o tipo de gente. O que me interessa não são tanto as palavras usadas, mas a cadência do discurso, o ritmo. Deixar uma palavra de fora de vezem quando. Fazercom que aquilo soe verdadeiro ao leitor. Adequar a gramática à rua. Se me soa a escrito, reescrevo.'"

Elmore Leonard continuava a trabalhar. Em mãos tinha o seu 46.º livro, disse a família numa nota à imprensa quando o autor dewesterns e policiais estava ainda no hospital. O seu último livro,Raylan, foi publicado no final do ano passado nos Estados Unidos. 

Vários dos seus livros estão publicados em Portugal,  Na Casa de Honey (Teorema), Cuba Libre (Quetzal), Hot Kid (Teorema),Crianças Pagãs (Teorema), Um Bom Argumento (Difusão Cultural) , livro que deu origem ao filme Jogos Quase Perigosos(1995), de Barry Sonnenfeld com John Travolta e Danny DeVito.Também o realizador Quentin Tarantino adaptou ao cinema Rum Punch, um dos romances do escritor. E o filme Romance perigoso, de Steven Soderbergh,em que George Clooneyinterpreta o assaltante de bancos Jack Foley também é baseado no romance Out of Sight de Elmore Leonard.

“Raros foram os escritores tantas vezes adaptados ao cinema – nada menos do que 19 filmes foram inspirados em obras suas. Por exemplo, um clássico do western O Comboio das 3.10, de Delmer Daves. Mas Elmore Leonard era sobretudo uma referência crucial no cinema de Tarentino”, diz ao PÚBLICO o crítico Augusto M. Seabra. “Em Pulp Fiction e ainda mais em Jackie Brown, que era adaptado de um dos seus romances, em particular no estilo dos diálogos tão característicos de Tarantino é que ele se mostra mais devedor de Leonard. Tarantino disse mesmo que o seu argumento de Amor à Queima-Roupa (realizado por Tony Scott ) ‘era como um romance de Elmore Leonard que ele nunca tinha escrito’. Leonard foi o escritor que deu cartas de nobreza a um género considerado menor”, acrescenta o crítico. 

Elmore Leonard nasceuem Nova Orleães, o seu pai era um quadro da General Motors e durante a sua infância e adolescência viveu em vários locais do sul dos EUA antes da família se instalar definitivamenteem Detroit. Antesde se licenciar em língua inglesa e em filosofia, esteve na Marinha, e mais tarde trabalhou na agência de publicidade Campbell Ewald. Foi durante essa época que em casa ia escrevendo westerns que vendia a revistas. O seu primeiro romance,The Bounty Hunters, foi publicado nos Estados Unidos em 1953. [publico.pt]

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 15:40
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 22 de Agosto de 2013
Estreias - cinema

 

Estreiam, hoje, os filmes: “Até ver a luz” de Basil da Cunha com Pedro FerreiraJoão VeigaNelson da Cruz Duarte RodriguesPaulo Ribeiro; “Jobs” de Joshua Michael Stern com Ashton KutcherJosh GadJ.K. Simmons; “Dá e Leva” de Michael Bay com Mark WahlbergDwayne JohnsonAnthony MackieEd Harris; “Os Instrumentos mortais: A cidade dos Ossos” de Harald Zwart com Lily CollinsJamie Campbell BowerRobert Sheehan.

 

“Até ver a luz”

Sinopse:

Nascido e criado no Bairro da Reboleira, na Amadora, Sombra já foi condenado e preso por vários delitos. Hoje, acabado de sair da prisão, regressa à sua vida normal como “dealer”, numa tentativa de reintegração no implacável grupo de amigos. Porém, apesar do esforço, está consciente que é um marginal dentro da própria marginalidade do bairro. Por tudo isso, sabe que o seu destino será ser sempre julgado não apenas por aquilo que fez mas, acima de tudo, por aquilo que é.

Com argumento e realização do luso-suíço Basil da Cunha, marca a terceira participação do jovem realizador no prestigiado Festival de Cinema de Cannes (depois das curtas “Nuvem”, em 2011, e “Os vivos também choram”, em 2012), onde o filme teve a sua estreia mundial. No elenco encontramos um grupo de actores não-profissionais: Pedro Ferreira, João Veiga, Nelson da Cruz Duarte Rodrigues, Susana Maria Mendes da Costa e Paolo Ribeiro. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Jobs”

 

Sinopse:

Realizado por Joshua Michael Stern segundo um argumento de Matt Whitele, um filme biográfico sobre um ícone do século XX: Steve Jobs, co-fundador e presidente executivo da Apple, uma das mais importantes multinacionais norte-americanas. A acção segue os momentos mais importantes da vida de Jobs, da juventude, pontuada pela rebeldia e capacidade criativa, até ao momento em que, ao fundar a Apple com Steve Wozniak, um amigo de longa data, marca uma época e altera o modo de funcionamento do mundo. Da forma como se via a si mesmo ao modo como o viam todos os que consigo se relacionavam, aqui se revelam a personalidade e o carácter empreendedor de um homem singular, até ao dia do seu trágico falecimento, a 5 de Outubro de 2011.

No elenco encontramos nomes como Ashton Kutcher, Josh Gad, Ahna O'Reilly, Dermot Mulroney, Matthew Modine, J. K. Simmons ou Lukas Haas. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Dá e Leva”

Sinopse:

Daniel Lugo (Mark Wahlberg), Adrian Doorbal (Anthony Mackie) e Paul Doyle (Dwayne Johnson) trabalham num dos mais badalados ginásio de Miami, EUA. A viver uma vida medíocre, maioritariamente dedicada à aparência física e a delitos menores relacionados com drogas leves e esteróides, nenhum deles sente ter verdadeiramente alcançado o grande “sonho americano”. Decididos a alterar o rumo das suas existências, os três amigos unem-se para o maior golpe das suas vidas: raptar Victor Kershaw (Tony Shalhoub), um dos mais ricos empresários da cidade, extorquir-lhe todo o dinheiro possível e viver à grande, com todos os luxos a que julgam ter direito. Porém, nada corre como esperado e os três acabam por viver o pior pesadelo das suas vidas…

Uma comédia negra realizada por Michael Bay (“Transformers”) que se baseia num artigo escrito pelo jornalista Pete Collins sobre eventos verídicos que tiveram lugar nos EUA, em 1999. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Os Instrumentos mortais: A cidade dos Ossos”

Sinopse:

Clary Fray (Lily Collins) é uma adolescente nova-iorquina com uma vida igual à de tantos outros. Porém, essa aparente normalidade perde o sentido quando conhece Jace Wayland (Jamie Campbell Bower), um misterioso rapaz que lhe explica que ela é um ser híbrido, metade anjo e metade humana, cuja grande missão é proteger os seres humanos contra criaturas demoníacas. Apesar de relutante em aceitar esta nova identidade, da qual pouco sabe, Clary acaba por ser empurrada pelas circunstâncias quando a mãe é raptada e levada para o mundo das Sombras. Em desespero, a rapariga é forçada a aceitar a ajuda dos Caçadores de Sombras, que lhe revelam o “Mundo-à-Parte”, um lado paralelo da cidade de Nova Iorque, assolada por demónios, feiticeiros, vampiros e outras criaturas terríveis, determinadas a acabar com a raça humana. Ali, apesar das dificuldades e do medo quase paralisante, Clary vai descobrir a sua verdadeira natureza e um novo sentido de existência…

Um filme de acção e aventura realizado por Harald Zwart, que se inspira em “City of Bones”, o primeiro livro da série juvenil “The Mortal Instruments”, escrito por Cassandra Clare. [cinecartaz.publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 12:28
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013
Na mesa dos poetas

João Penha

 

João Penha de Oliveira Fortuna (1838-1919) nasceu e faleceu na cidade de Braga. Matriculou-se na Universidade de Coimbra em Teologia, passando depois para o curso de Direito onde se formou em 1873. Juntou-se desde logo ao grupo dos estudantes boémios, tornando-se amigo de Gonçalves Crespo, Cândido de Figueiredo, Antero de Quental, Guerra Junqueiro, entre outros.

A sua poesia comunga das concepções parnasianas, tendo contribuído grandemente  para o rejuvenescimento do soneto em Portugal.

 

Consolação

Eu fiz da vida um plácido remanso:
Vivo cantando, como o ancião de Cós.
A acção do tempo não me afrouxa a voz,
E para o ignoto alegremente avanço.

Compara as nossas vidas: eu, descanso;
É triste o teu viver, sem paz, atroz!
Parece a morte, ao longe, um leão feroz;
Ao perto é outra; um cordeirinho manso.

Para que a receias, pois, e te lastimas?
O varão forte vence a dor, não chora;
Volta ao violão jucundo, às tuas rimas.

Volta ao viver antigo, sem demora;
Que quanto mais da noite te aproximas,
Mais te aproximas do esplendor da aurora!

João Penha

in “Ecos do Passado”, 1914



publicado por bibliotecadafeira às 15:37
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 20 de Agosto de 2013
Sugestão de leituras

 

Titulo: O Senhor Nicanor

Autora: Ana Fernández-Abascal

Ilustrador: Flavio Morais

Editora: Kalandraka

Sinopse:

Quer pela execução ou pelo material deste livro, cartonado com esquinas canteadas, ou quer ainda pelo seu próprio conteúdo, um texto rimado, simples, estruturado de forma circular e com histórias encadeadas, O Senhor Nicanor poderia parecer um álbum ilustrado para primeiros leitores. Em contrapartida, é um livro que agrada a qualquer leitor de todas as idades e que está destinado a ocupar um lugar de relevo entre as principais obras de referência.

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 10:44
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 19 de Agosto de 2013
Músico da semana: Rodrigo Leão

 

A carreira de Rodrigo Leão é singular e riquíssima, estando ligada a alguns dos mais importantes momentos da cena musical portuguesa pós-1980. Rodrigo vê-a quase como um filme ou um livro com diversos capítulos, mas sempre com ligação entre eles. Explica-nos que os seus modos nunca se chegaram a alterar e que há coisas que tendem a não mudar: «mesmo no princípio da Sétima Legião fazia coisas que ainda hoje repito», explica, para reforçar a ideia de uma continuidade que a sua música transporta.

A Sétima Legião foi uma lufada de ar fresco e de modernidade na cena musical portuguesa quando surgiu em 1982 pela mão, precisamente, de Rodrigo, Pedro Oliveira e Nuno Cruz. «A Sétima Legião traduzia as influências não só de Manchester, mas também da Galiza, por exemplo, e nisso talvez tenhamos sido diferentes», afirma, em retrospectiva, Rodrigo. A estreia do grupo foi com o single «Glória», clássico maior da nossa música que continha letra de Miguel Esteves Cardoso. Em 1984 aconteceu a estreia em formato grande, com o álbum «A Um Deus Desconhecido», na editora Fundação Atlântica de MEC e Pedro Ayres Magalhães então dos Heróis do Mar. «O meu álbum favorito da Sétima Legião? Talvez o “A Um Deus Desconhecido”», esclarece Rodrigo: «Foi feito com o António Pinheiro da Silva, engenheiro de som que eu respeito muito e é um álbum que já tinha ali um lado cinematográfico expresso nos instrumentais», refere o compositor, reforçando, uma vez mais, a ideia de que tudo na sua carreira está interligado. [ler mais]

 

 

Filme com música de Rodrigo Leão lidera na América do Norte

 

O filme "O mordomo", de Lee Daniels, com banda sonora de Rodrigo Leão, foi o mais visto no fim-de-semana de estreia nos Estados Unidos e Canadá, com 18,7 milhões de euros de receita de bilheteira.

De acordo com a publicação Hollywood Reporter, esta longa-metragem, baseada em factos reais, estreou-se em 2.933 salas, superando em receita de bilheteira o filme "Jobs", "biopic" sobre o empresário norte-americano Steve Jobs, e "Kick-Ass 2", ambos também no fim-de-semana de estreia nos cinemas.

Em Portugal, a estreia está marcada para 05 de setembro.

A história de "O mordomo" ("The Butler", no original) inspira-se em factos reais, a partir de uma reportagem do Washington Post sobre Eugene Allen, um afro-americano que trabalhou na Casa Branca ao longo de trinta anos, servindo oito presidentes, entre os quais Richard Nixon, Ronald Reagan e JF Kennedy.

O filme, protagonizado por Forest Whitaker, é assim uma viagem pelas transformações sociais e políticas nos Estados Unidos, entre os anos 1950 e 1980.

Do elenco fazem ainda parte Oprah Winfrey, Vanessa Redgrave, John Cusak, Robin Williams, Melissa Leo, Liev Schreiber, Alan Rickman e Jane Fonda, entre outros.

A banda sonora do filme é assinada pelo músico português Rodrigo Leão, que recentemente também compôs para as longas-metragens "O frágil som do meu motor", de Leonardo António, e "A gaiola dourada", de Ruben Alves.

Fez ainda música para a série documental "Portugal - Um retrato social" e para a série de ficção "Equador", para o filme "Um passo, outro passo e depois..." (1989), de Manuel Mozos, e participou, enquanto músico dos Madredeus, na composição da música e na interpretação no filme "Lisbon Story" (1994), de Wim Wenders. [noticiasaominuto.com]

 

 

Títulos disponíveis, deste autor, na biblioteca municipal.

 

 



publicado por bibliotecadafeira às 15:59
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 16 de Agosto de 2013
Autor da semana: Paul Theroux

 

Paul Edward Theroux é um escritor de literatura de viagens e romancista norteamericano, cuja obra mais célebre é The Great Railway Bazaar, de 1975, um travelogue que ele fez de comboio da Grã-Bretanha, passando pela Europa de Leste, Médio Oriente, Ásia do Sul e Sudeste Asiático, até ao Leste Asiático, tão a Oriente quanto o Japão, e depois voltou pela Rússia até ao seu ponto de origem.

Apesar de mais conhecido como escritor de viagens, Theroux também publicou numerosas obras de ficção, algumas das quais se transformaramem filmes. Foigalardoado em 1981 com o Prémio James Tait Memorial pelo seu romance The Mosquito Coast. É pai de dois autores e documentaristas, Louis Theroux e Marcel Theroux, e irmão dos autores Alexander Thoreux e Peter Theroux. [ler mais]

 

 

 

«A Arte da Viagem», de Paul Theroux

 

«Um viajante é um estranho», escreve a dada altura, neste livro, Paul Theroux. O escritor norte-americano é provavelmente o autor vivo mais reconhecido, junto do grande público, como emblema da literatura de viagens.

Ao escrever que um viajante é um estranho, Paul Theroux está estabelecer a mesma distinção que um outro escritor de renome, também americano, já há muito propôs: a distinção entre o viajante e o turista.

«A Arte da Viagem» é um livro sobre viajantes. E é também uma espécie de breve iniciação à literatura de viagens. Em traços rápidos, Paul Theroux dá-nos uma pequena enciclopédia de autores, citações e situações emblemáticas em curtos capítulos onde tanto se encontram relatados 'os prazeres dos caminhos-de-ferro' ou 'a viagem como provação' como nos deparamos com 'medos, neuroses e outras situações' ou os 'prazeres perversos do inóspito'.

Tudo servido com doses generosas de passagens de livros clássicos, episódios da vida de alguns grandes autores ou histórias pessoais do próprio Paul Theroux.

«A Arte da Viagem» é, assim, uma interessante introdução a um género que, diz o autor, é o mais antigo do mundo.

E Paul Theroux ainda nos oferece os dez mandamentos com aquilo a que chama «o essencial da viagem: 1. Sair de casa; 2. Ir sozinho; 3. Viajar leve; 4. Levar um mapa; 5. Ir por terra; 6. Atravessar a pé uma fronteira nacional; 7. Fazer um diário; 8. Ler um romance que não esteja relacionado com o local em que se está; 9. Se tiver de levar um telemóvel, evitar usá-lo; 10. Fazer um amigo». [ler mais]

  

Títulos disponíveis, deste autor, na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 14:56
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 14 de Agosto de 2013
Na mesa dos poetas

Hino à Solidão

 

Diz-se que a solidão torna a vida um deserto;
Mas quem sabe viver com a sua alma nunca
Se encontra só; a Alma é um mundo, um mundo
[aberto
Cujo átrio, a nossos pés, de pétalas se junca.

Mundo vasto que mil existências povoam:
Imagens, concepções, formas do sentimento,
— Sonhos puros que nele em beleza revoam
E ficam a brilhar, sóis do seu firmamento.

Dia a dia, hora a hora, o Pensamento lavra
Esse fecundo chão onde se esconde e medra
A semente que vai germinar na Palavra,
Cantar no Som, flores na Cor, sorrir na Pedra!

Basta que certa luz de seus raios aqueça
A semente que jaz na sua leiva escondida,
Para que ela, a sorrir, desabroche e floresça,
De perfumes enchendo as estradas da Vida.

Sei que embora essa luz nem para todos tenha
O mesmo brilho, o mesmo impulso criador,
Da Glória, sempre vã, todo o asceta desdenha,
Vivendo como um deus no seu mundo interior.

E que mundo sublime, esse em que ele se agita!
Mundo que de si mesmo e em si mesmo criou,
E em cuja criação o seu sangue palpita,
Que não há deus estranho aos orbes que formou.

Nem lutas, nem paixões: ideais serenidades
Em que o Tempo se esvai sob o encanto da Hora...
O passado e o porvir são ânsias e saudades:
Só no instante que passa a plenitude mora.

Sombra crepuscular, que a Noite não atinge,
Nem a Aurora desfaz: rosicler e luar,
Meia tinta em que a Alma abre os lábios de Esfinge,
E o seu mistério ensina a quem sabe escutar.

Mas então, inundando essa penumbra doce,
De não sei que sublime esplendor sideral,
Como se a emanação dum ser divino fosse,
Deixa no nosso olhar um reflexo imortal.

Na vertigem que a vida exalta e desvaria,
Pára alguém para ouvir um coração que bate
No seio mais formoso, o olhar que se extasia
Vê o mundo que nele em ânsias se debate?

É só na solidão que a alma se revela,
Como uma flor nocturna as pétalas abrindo,
A uma luz, que é talvez o clarão duma estrela,
Talvez o olhar de Deus, de astro em astro caindo...

E dessa luz, a flor sem forma, há pouco obscura,
Recebe o seu quinhão de graça e de pureza,
Como das mãos do artista, animando a escultura,
O mármore recebe a sua alma — a Beleza.

Se sofrer é pensar, na paz do isolamento,
Como dum cálix cheio o líquido extravasa,
A Dor, que a Alma empolgou, transborda em
[pensamento,
E a pouco e pouco extingue o fogo em que se
[abrasa.

Como a montanha de oiro, a Alma, em seu
[mistério,
À superfície nunca o seu teor revela;
Só depois de sondado e fundido o minério
Se conhece a riqueza acumulada nela.

Corações que a Existência em tumulto arrebata!
Esse oiro só se extrai do minério candente,
No silêncio, na paz, na quietação abstracta,
Das estrelas do céu sob o olhar indulgente...

 

António Feijó

in 'Sol de Inverno', 1922



publicado por bibliotecadafeira às 16:25
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 13 de Agosto de 2013
Sugestão de leituras

 

Titulo: A menina de papel

Autora: Teresa Guimarães

Ilustradora: Anabela Dias

Editora: Trinta por uma linha

Sinopse: Ser avó é ter um rosto transparente e um colo transbordante de afetos esvoaçantes! Em A Menina de Papel cada um de nos descobre que, na sua avó, pode (re) encontrar o prazer de ser embalado, o gosto pelas memórias, a lembrança calma das histórias, o riso cúmplice das brincadeiras e os abraços de ternura com cheiro a lúcia-lima.

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 12:44
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 12 de Agosto de 2013
Músico da semana: George Duke



Morreu George Duke, pianista de jazz, músico múltiplo

 

Músico de jazz, apaixonado pelo funk, colaborador de Frank Zappa, foi um músico guiado pela curiosidade. Morreu aos 67 anos.

George Duke foi muitas coisas. Um músico de ouvidos bem abertos e sem temperamento ou paciência para as “capelinhas” em que se divide a música popular urbana. Morreu segunda-feira, 5 de Agosto, aos 67 anos,em Los Angeles. Segundoo Huffington Post, estaria a receber tratamento para uma leucemia linfática crónica.

Começou a tocar piano aos 4 anos, depois de ver um concerto de Duke Ellington. Gravou o seu primeiro álbum de alguma notoriedade com o violinista francês Jean Luc-Ponty. Foi músico de jazz respeitado que produziu e tocou com Miles Davis, Billy Cobham ou Cannonball Adderley. Integrou os Mothers of Invention de Frank Zappa e construiu uma carreira a solo que, nos anos 1970, o levou aos lugares cimeiros das tabelas de vendas com canções apaixonadas pelo funk e em flirt com o disco sound.

As imagens mais icónicas de Duke mostram-no de sorriso largo a tocar o keytar [o teclado, popularizado na década de 1980, tocado a tiracolo como uma guitarra]. Tal imagem representa-o bem. Porque o keytar é visto genericamente como o instrumento que o bom gosto esqueceu, uma bizarria que nos habituámos a ver nas mãos de ídolos pop caídos no esquecimento, como uns Modern Talking. Em Duke, porém, o keytar acaba por fazer todo o sentido.

George Duke, músico de jazz, estrela pop, criador de funk devidamente pecaminoso, só era coerente na sua aparente incoerência. Aparente porque não havia nada de incoerente no seu percurso, antes uma imensa curiosidade (a que o levou, por exemplo, ao Brasil, no final dos anos 1970, para gravar com Milton Nascimento ou Flora Purim o jazz tropicalista de Brazilian Love Affair). Curiosidade e a noção muito moderna, sabemo-lo agora, da inexistência real de uma hierarquia separadora da alta e baixa cultura. Nesse sentido, o músico que se iniciou nas lições de piano depois de ver Duke Ellington foi fiel à sua inspiração primeira, ao homem que afirmou um dia “só existem dois tipos de música, a boa e a má”.

Nascidoem San Rafael, Califórnia, a 12 de Janeiro de 1946, George Duke formou-se no Conservatório de São Francisco em 1967, onde estudou trombone, composição e contrabaixo. Dois anos depois, gravou com Jean Luc Ponty o álbum The Jean-Luc Ponty Experience with the George Duke Trio. O ensemble cumpriu algumas datas na Costa Oeste americana e, numa delas, Duke foi seguido atentamente, na assistência, por Cannonball Adderley e Frank Zappa.

Nos anos seguintes, tocou regularmente com ambos (ouvimo-lo em Chunga’s Revenge ou Apostrophe, de Zappa), iniciou uma banda com Billy Cobham, trabalhou com Sonny Rollins, e começou a firmar-se a solo enquanto nome destacado do jazz de fusão, bem próximo do fervor funk que, recordava, o havia marcado desde criança enquanto frequentador da igreja localem San Rafael.Álbuns como Liberated Fantasies ou Reach for It cimentaram o seu estatuto e canções como Dukey stick asseguraram que seria ouvido pelas gerações seguintes. E foi realmente: encontramos samples da sua obra em canções dos Daft Punk, de Common, MF Doom, Ice Cube ou Mylo.

Dividindo-se entre trabalho de produção e a carreira a solo, George Duke manteve-se activo em ambas as áreas até ao fim. Em Julho do ano passado foi obrigado a parar. Corine, sua mulher há quarenta anos, morria na sequência de um cancro e Duke, devastado, sentia-se incapaz de se dedicar à música. Quando conseguiu fazê-lo novamente, gravou DreamWeaver, álbum que dedicou à mulher. Foi editado há apenas três semanas, dia 16 de Julho. [publico.pt]

 

 

 

  

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 15:28
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 9 de Agosto de 2013
Autor da semana: Urbano Tavares Rodrigues

 

Nascido em Lisboa em 1923, Urbano Augusto Tavares Rodrigues passou a infância no Alentejo, perto de Moura, o que em muito influenciou a sua vida e obra. Ficcionista, investigador e crítico literário, licenciou-se em Letras com uma tese intitulada Manuel Teixeira Gomes: Introdução à sua obra (1950), tendo regressado por várias vezes aos estudos sobre aquele autor, nomeadamente na sua dissertação de doutoramento, Manuel Teixeira Gomes: o discurso do desejo.
Impedido, por motivos políticos, de exercer a docência universitária em Portugal, foi leitor de Português em diversas universidades estrangeiras (Montpellier, Aix e Paris, entre 1949 e 1955). Depois da revolução de 25 de Abril de 1974 retomou a actividade docente em Portugal, jubilando-se em 1993 como Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É membro efectivo da Academia de Ciências de Lisboa e membro correspondente da Academia Brasileira de Letras. [ler mais]

 

 

Morreu o escritor Urbano Tavares Rodrigues 

 

O escritor, jornalista e militante do PCP, Urbano Tavares Rodrigues morreu na manhã desta sexta-feira, no Hospital dos Capuchos, em Lisboa.

O escritor estava internado há três dias. A notícia soube-se através da página de Facebook "Urbano Tavares Rodrigues - escritor" e foi publicada pela filha, a escritora, Isabel Fraga, onde diz: "O meu pai acaba de nos deixar.”
Estava internado nos capuchos há 3 dias. Não tenho mais informações. Soube agora mesmo." O PÚBLICO confirmou.

Urbano Tavares Rodrigues nasceu em Lisboa, a 6 de Dezembro de 1923, filho de uma família de grandes proprietários agrícolas de Moura, Alentejo. Andou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa onde cursou Filologia Românica. Por razões políticas foi impedido de ensinar em Portugal, esteve preso em Caxias e acabou por exilar-se em França, onde conviveu com grande intelectuais da década de 1950.

Foi professor na Faculdade de Letras, crítico literário e esteve sempre ligado activamente ao PCP. [publico.pt]

 

Títulos disponíveis, deste autor, na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 13:26
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 8 de Agosto de 2013
Estreias - cinema

Estreiam, hoje, os filmes: O Mascarilha” de Gore Verbinski com Johnny Depp, Armie Hammer, William Fichtner, Tom Wilkinson e Helena Bonham Carter; “O Gangue de Hollywood” de Sofia Coppola com Katie Chang, Israel Broussard e Emma Watson; “Macacos no Espaço - Zartog Contra-ataca” de John H. Williams com as vozes Tom Kenny, Zack Shada, Patrick Warburton; “RED 2 - Ainda Mais Perigosos” de Dean Parisot com Bruce Willis, John Malkovich e Anthony Hopkins; “Möbius - Laço Mortal” de Eric Rochant com Jean Dujardin, Cécile De France e Tim Roth; “Miúdas a Abrir” de Regan Hall com Lenora Crichlow, Philip Davis e Jamie Howard.

 

“O Mascarilha”

Sinopse:

Tonto, um ameríndio de espírito guerreiro, relata as incríveis aventuras do Velho Oeste que transformaram John Reid, um homem da lei, num lendário e obscuro justiceiro, determinado a ajudar os pobres e indefesos. Com os destinos cruzados, os dois homens formarão uma equipa improvável que tudo fará para combater o crime e a corrupção, numa época e lugar onde a lei predominante é a do mais forte.
Baseado na célebre novela radiofónica com o mesmo nome, criada, em 1933, por George W.Trendle e Fran Striker, um "western" co-produzido pelos estúdios Walt Disney Pictures e Jerry Bruckheimer Films, que conta com realização de Gore Verbinski ("The Ring - O Aviso", "Piratas das Caraíbas", "Rango") e com Johnny Depp, Armie Hammer, William Fichtner, Tom Wilkinson e Helena Bonham Carter nos principais papéis. [cinecartaz.publico.pt]

 

“O Gangue de Hollywood”

Sinopse:

Tudo o que Nicki sempre desejou foi ser rica e famosa. Seduzida pelo luxo de Berverly Hills, Los Angeles, apenas pensa em roupas caras e festas da moda. Decidida a mudar o seu destino e sair do anonimato, junta-se aos seus amigos Sam, Cloe, Rebecca e Marc para criar um plano de invasão às casas de algumas das mais importantes celebridades. Assim, ao mesmo tempo que se aproxima do "glamour" do mundo dos famosos, aquele grupo de adolescentes acaba por ter ao seu alcance mais de 3 milhões de dólares em bens de luxo.
Com argumento e realização de Sofia Coppola ("As Virgens Suicidas ", "O Amor É um Lugar Estranho", "Somewhere - Algures"), um filme baseado em factos reais que, em 2008, fez correr muita tinta na imprensa de todo o mundo. Até ser descoberto, este grupo de jovens, na altura conhecido pelo nome de "The Bling Ring", assaltou um sem número de celebridades, entre elas, Paris Hilton, Lindsay Lohan, Orlando Bloom, Rachel Bilson e Audrina Patridge.
No elenco, o filme conta com as participações de Emma Watson, Israel Broussard, Katie Chang, Claire Julien, Taissa Farmiga e Paris Hilton, uma das vítimas reais dos assaltos. [cinecartaz.publico.pt]

 

 “Macacos no Espaço - Zartog Contra-ataca”

Sinopse:

Cometa é um jovem macaco astronauta com uma inteligência fora do comum e um carácter determinado. Quando lhe é atribuída a missão de ir ao planeta Malgot, ele decide provar a todos que, apesar da sua juventude e inexperiência, é digno da confiança que todos depositaram nele. Porém, Zartog, o temido ditador de Malgot, decide sabotar a missão, pondo em causa a segurança de todos. É então que Cometa, compreendendo o perigo, resolve recorrer a tudo o que aprendeu até aqui e unir-se a Ham, Luna e Titã, os velhos amigos que, sejam quais forem as circunstâncias, estão sempre a seu lado e nunca o deixam deixar ficar mal.
Realizado por John H. Williams, um filme de animação que continua a história dos simpáticos macacos astronautas que conhecemos em 2008. [cinecartaz.publico.pt]

 

“RED 2 - Ainda Mais Perigosos”

Sinopse:

Em tempos, Frank, Marvin e Victoria (Bruce Willis, John Malkovich e Helen Mirren) foram agentes da CIA, altamente treinados para investigar e fornecer informações de segurança nacional. Hoje em dia, já reformados, todos se esforçam por se adaptarem à monótona existência das pessoas comuns. Porém, para seu deleite, parece que o mundo volta a precisar dos seus conhecimentos e larga experiência no ramo das operações secretas. A missão que agora os espera é a mais arriscada - e excitante - de sempre: encontrar um dispositivo nuclear desaparecido que ameaça a segurança da nação.
Depois do sucesso, em 2010, da comédia "Red", realizada por Robert Schwentke, Bruce Willis regressa com Frank Moses e a sua trupe  de heróis aposentados numa aventura cheia de acção, agora realizada por Dean Parisot, que se inspira na famosa novela gráfica de Warren Ellis e Cully Hamner. O elenco, de luxo, inclui ainda Mary-Louise Parker, Anthony Hopkins, Catherine Zeta-Jones, Byung-hun Lee e Brian Cox. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Möbius - Laço Mortal”

Sinopse:

Gregory Lyubov é um agente dos serviços secretos russos enviado para o Mónaco para espiar Ivan Rostovsky, um poderoso empresário. Alice, economista de renome, foi recrutada pela CIA para trabalhar como infiltrada na mesma missão. Suspeitando de uma possível traição, Gregory decide quebrar uma das principais regras da agência e entrar em contacto com ela, de forma a perceber as suas intenções. Quando se conhecem, nasce entre eles uma paixão incontrolável que os vai levar à perdição...
Um "thriller" de acção que conta com a realização do francês  Eric Rochant e com a participação dos actores Jean Dujardin, Cécile De France e Tim Roth. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Miúdas a Abrir”

Sinopse:

Quatro jovens atletas preparam-se para o Campeonato Mundial de Atletismo, em Londres. Tommy (Noel Clarke), o treinador, esforça-se por conciliar as diferenças entre elas e melhorar a sua performance enquanto equipa participante na categoria 4 x 100 metros estafetas. Porém, a maior dificuldade será gerir a rivalidade entre duas delas: Lisa (Lily James), ambiciosa, obstinada e bem-nascida; e Shania (Lenora Crichlow), proveniente de um bairro pobre, com um passado difícil e uma personalidade amargurada. Mas elas sabem que, para se qualificarem para o grande dia, terão de superar não apenas os seus limites físicos, mas também as suas diferenças pessoais.
Um filme sobre a amizade e o espírito de equipa, realizado por Regan Hall segundo um argumento de Jay Basu, Noel Clarke e Roy Williams. [cinecartaz.publico.pt]



publicado por bibliotecadafeira às 12:31
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 7 de Agosto de 2013
Na mesa dos poetas

 

António Feijó

 

António de Castro Feijó (Ponte de Lima, 1 de Junho de 1859 - Estocolmo, 20 de Junho de 1917) foi um poeta e diplomata português que deixou uma obra reveladora de tendências diversas situadas entre o Parnasianismo, o Romantismo, o Decadentismo e o Simbolismo

 

 

O Livro da Vida

 

Absorto, o Sábio antigo, estranho a tudo, lia...
— Lia o «Livro da Vida» — herança inesperada,
Que ao nascer encontrou, quando os olhos abria
Ao primeiro clarão da primeira alvorada.

Perto dele caminha, em ruidoso tumulto,
Todo o humano tropel num clamor ululando,
Sem que de sobre o Livro erga o seu magro vulto,
Lentamente, e uma a uma, as suas folhas voltando.

Passa o Estio, a cantar; acumulam-se Invernos;
E ele sempre, — inclinada a dorida cabeça,—
A ler e a meditar postulados eternos,
Sem um fanal que o seu espírito esclareça!

Cada página abrange um estádio da Vida,
Cujo eterno segredo e alcance transcendente
Ele tenta arrancar da folha percorrida,
Como de mina obscura a pedra refulgente.

Mas o tempo caminha; os anos vão correndo;
Passam as gerações; tudo é pó, tudo é vão...
E ele sem descansar, sempre o seu Livro lendo!
E sempre a mesma névoa, a mesma escuridão.

Nesse eterno cismar, nada vê, nada escuta:
Nem o tempo a dobrar os seus anos mais belos,
Nem o humano sofrer, que outras almas enluta,
Nem a neve do Inverno a pratear-lhe os cabelos!

Só depois de voltada a folha derradeira,
Já próximo do fim, sobre o livro, alquebrado,
É que o Sábio entreviu, como numa clareira,
A luz que iluminou todo o caminho andado..

Juventude, manhãs de Abril, bocas floridas,
Amor, vozes do Lar, estos do Sentimento,
— Tudo viu num relance em imagens perdidas,
Muito longe, e a carpir, como em nocturno vento.

Mas então, lamentando o seu estéril zelo,
Quando viu, a essa luz que um instante brilhou,
Como o Livro era bom, como era bom relê-lo,
Sobre ele, para sempre, os seus olhos cerrou...

 

António Feijó

in 'Sol de Inverno”, 1922

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 13:48
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 6 de Agosto de 2013
Sugestão de leituras

 

Titulo: As luvas do capuchinho

Autor: Inés Almagro

Ilustrador: Mikel Mardones

Editora: OQO

Sinopse: Com "As luvas do Capuchinho", a OQO editora também apresenta uma reinterpretação divertida e original deste clássico. Tanto o texto de Inés Almagro como as imagens de Mikel Mardones jogam com uma dupla cumplicidade: a do leitor e a da protagonista. Pressupõe-se que ambos são conhecedores do desenrolar da versão popular mais estendida. O facto de a história não decorrer como convencionalmente é conhecida ou como o Capuchinho a protagonizou reiteradas vezes surpreende o leitor e desconcerta a protagonista. - Que estranho! - disse o Capuchinho enquanto punha o seu capuz. Na minha história nunca neva! Inés Almagro coloca a protagonista ao lado do leitor, que pergunta o mesmo que a menina perante o inédito dos acontecimentos e o inusitado comportamento das personagens: - Que estranho! - disse. O lobo nunca se esquece de me vir assustar!

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 12:23
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 5 de Agosto de 2013
Músico da semana: Franz Ferdinand

 

Franz Ferdinand é uma banda de rock formada em Glasgow, Escócia em2002. A banda é formada por Alex Kapranos (vocal e guitarra), Bob Hardy (baixo),Nick McCarthy (guitarra base, teclado e vocal de apoio) e Paul Thomson (bateria, percussão e vocal de apoio). Inspirado na banda Talking Heads e outras dos anos 80, sem deixar de lado a pegada e ritmos dançantes do indie rock dos anos 2000. Foi considerado uma das grandes revelações da cena musical no ano de 2004, tendo ganho o Mercury Music Prize. [ler mais]

 

 

  

Franz Ferdinand estão de volta

 

 

Os escoceses Franz Ferdinand estão de volta com novo álbum a 26 de agosto e já mostraram duas novas canções. O disco intitula-se Right Thoughts, Right Words, Right Action e inclui "Love Illumination" e "Right Action", que podem já ser ouvidas abaixo. [blitz.sapo.pt]
 

 

 

Títulos disponíveis na biblioteca municipal.



publicado por bibliotecadafeira às 12:46
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 2 de Agosto de 2013
Autor da semana: Nuno Lobo Antunes

 

Nuno Lobo Antunes nasceu em Lisboa a 10 de Maio 1954. Em 1977, licenciou-se em Medicina, pela Faculdade de Medicina de Lisboa.
Foi Assistente Hospitalar de Pediatria e Coordenador da Unidade de Neuropediatria do Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Foi Membro da Comissão de Neurologia do "Children Oncology Group".
Foi consultor de Neurologia Pediátrica para o Departamento de Neurologia e Pediatria do Memorial Hospital for Cancer and Allied Diseases e para o Presbyterian Hospital em Nova Iorque. [ler mais]

 

 

Em Nome do Pai, primeiro livro de ficção de Nuno Lobo Antunes

 

[já disponível na biblioteca municipal]

 

[…] Em Nome do Pai é, com efeito, o contínuo de uma busca, perseguida nos livros anteriores e ao longo das mais de três décadas a exercer Medicina: a procura de um sentido para a vida. Um "mergulho na Humanidade", diz da sua profissão, que o tem obrigado a viver, todos os dias, e intensamente, com o sofrimento, a angústia, mas também com a esperança e a coragem. De tal modo que cada ano que passa parece corresponder a três, no que toca à "riqueza" da experiência, como recorda acerca dos sete anos que trabalhou nos Estados Unidos. Outro "ato de coragem".
Aos 40 anos, partiu para Nova Iorque, onde trabalhou em hospitais como o Memorial Hospital for Cancer and Allied Diseases e o Presbyterian Hospital, e lecionou Neurologia e Pediatria na Universidade de Cornell, deixando para trás o lugar de pediatra no Hospital de Santa Maria, cuja Unidade de Neuropediatria coordenava. "Larguei em Lisboa tudo o que um médico com a minha idade poderia desejar", recorda, sem arrependimentos.
"Nos Estados Unidos, o quotidiano era feito de surpresas, de sentimentos muito fortes, lidava diariamente com a vida e a morte. Foi fundamental, até para o autoconhecimento. Um privilégio", garante. Só voltou porque se apaixonou. E não resiste a contar uma história: "Ia muitas vezes a um cafézinho de um italiano muito engraçado, que passava a vida a ler o jornal e se estava nas tintas para os clientes. Um dia, fui lá e disse-lhe que me ia embora para Portugal. Ele perguntou porquê, e eu disse: por causa de uma mulher. Ao que ele respondeu: I see, she made you an offer you couldn't refuse... ('Estou a ver, ela fez-lhe uma proposta irrecusável') E foi isso".
A família é o seu maior orgulho. A mulher, Felipa Garnel, as filhas, Rosa e Ana, e Duarte, o filho mais velho, de outro casamento - para quem tenta ser "uma espécie de Deus do Novo Testamento", diz, entre risos. Nasceu numa família de forte ligação à Medicina (o pai, João Alfredo Lobo Antunes, era professor catedrático da Faculdade de Medicina de Lisboa), e tem cinco irmãos, todos figuras de renome, com quem confessa ter uma relação "díficil de entender".  "Temos uma grande proximidade porque sorvemos do mesmo chão e, nesse sentido, há uma compreensão funda de cada um de nós, mas, ao mesmo tempo, é uma relação extremamente cerimoniosa", conta, adiantando que, por isso, não costuma partilhar o que escreve nem com António (Lobo Antunes), o irmão mais conhecido como escritor, nem com João, que além de igualmente médico, neurocirurgião, cientista, é também ensaísta/escritor. Tão pouco os lê.
"Primeiro, leio muito pouca ficção. Depois, a escrita do António, às vezes, irrita-me porque sinto que me 'rouba' um património comum. É como se se apropriasse das nossas memórias que, uma vez postas no papel, passam a pertencer-lhe só a ele", revela. "Além disso, as suas personagens não são, em geral, pessoas com quem eu me desse. É um lado mais sombrio, em que as pessoas desistiram, não sonham. Eu já enfrento isso no meu dia-a-dia... Não quero estar 'lá' muito mais tempo".
Por isso, quando não está no PIN - Progresso Infantil - o Centro para as Perturbações do Desenvolvimento que fundou em Carcavelos, em 2012, depois de vários anos à frente do CADIn -, aproveita para ler, sim, mas sobretudo livros de Ciência. Para escrever. Montar. E para se "rodear de beleza", diz, trocando um sorriso cúmplice com a filha mais nova, sentada ao seu colo. Que é como quem diz: para estar com a família. [visão.sapo.pt]   

 

 

  

Títulos disponíveis, deste autor, na biblioteca municipal.

 



publicado por bibliotecadafeira às 17:44
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 1 de Agosto de 2013
Estreias - cinema

 

Estreiam, hoje, os filmes: “A gaiola dourada” de Ruben Alves com Rita Blanco, Joaquim de Almeida, Roland Giraud e Chantal Lauby; “Os Smurfs 2” de Raja Gosnell com Hank Azaria, Neil Patrick Harris e Jayma Mays; “Uma Família Respeitável” de Massoud Bakhshi com Babak Hamidian, Mehrdad Sedighian e Mehran Ahmadi; “Um Homem de Família”de Ariel Vroman com Michael Shannon, Winona Ryder, Chris Evans e Ray Liotta; “Phantom - O Submarino Fantasma” de Todd Robinson com Ed Harris, Julian Adams e David Duchovny; “Hóspedes Indesejados” de Ti West com Sara Paxton, Pat Healy e Alison Bartlett.

 

“A gaiola dourada”

Sinopse:

Maria e José Ribeiro são um casal de portugueses emigrados em França há mais de três décadas. Ela sempre trabalhou como porteira de um prédio num dos melhores bairros parisienses e ele na construção civil. Todos gostam deles, quer pela sua simpatia e humildade, quer pela sua incansável boa vontade para ajudar quem precisa. Quando recebem a notícia de uma herança em Portugal que lhes concretiza o velho sonho do regresso às raízes, tudo parece perfeito. Porém, a verdade é que ninguém está muito interessado em perder a sua amizade e, subtilmente, uns e outros começam a organizar-se de maneira a fazê-los mudar de ideias. 

Uma comédia de costumes com realização de Ruben Alves, que conta com a participação de Rita Blanco, Joaquim de Almeida, Chantal Lauby e Roland Giraud, entre outros. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Os Smurfs 2”

Sinopse:

Em 2011, os pequenos Smurfs escaparam do seu mundo mágico e viram-se perdidos no coração do Central Park, em Nova Iorque, onde se tornaram amigos de Patrick e Grace Winslow (Neil Patrick Harris e Jayma Mays), dois seres humanos cuja ajuda foi crucial para escaparem a Gargamel e encontrarem o caminho de volta. Agora, decidido a obter a essência dos Smurfs, o malvado feiticeiro rapta a bela Smurfina e leva-a para Paris, cidade onde é conhecido como o mais poderoso dos mágicos. Arriscando a própria vida, os dedicados amigos da pequena retornam ao mundo dos humanos determinados a resgatá-la das mãos do cruel Gargamel. 

Sequela de “Os Smurfs”, e de novo realizada por Raja Gosnell ("O Agente Disfarçado", "Scooby Doo", "Chihuahua de Beverly Hills"), uma comédia familiar que alia o cinema "live-action" à animação em 3D, retomando as famosas personagens, da altura de três maçãs, criadas pelo belga Pierre "Peyo" Culliford há mais de 50 anos, e que fizeram as delícias de várias gerações de crianças por todo o mundo. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Uma família respeitável”

Sinopse:

Arash é um professor iraniano que estudou e fez carreira no Ocidente. Depois de uma ausência de mais de duas décadas, decide regressar à pequena cidade de Shiraz, Irão, para ocupar o lugar de professor na universidade local. Habituado a uma sociedade totalmente diferente, acaba por ser arrastado para uma série de dramas familiares num país que agora lhe é estranho. Depois de tantos anos longe dali, tudo se alterou. Para ele, já nada é o que parece, nem mesmo a família respeitável que foi habituado a venerar… 

Primeira longa-metragem do documentarista iraniano Massoud Bakhshi. Um drama familiar que é, segundo as suas próprias palavras, “a história da minha infância após a revolução de 1979, da minha adolescência durante a guerra e da minha experiência na Teerão dos dias de hoje.”

[cinecartaz.publico.pt]

 

“Um homem de família”

Sinopse:

À primeira vista, Richard Kuklinski é um homem como tantos outros. Dedicado pai de família, leva uma vida pacata entre trabalho, família e amigos. Porém, as aparências podem ser ilusórias e este homem é, na verdade, um perigoso assassino a soldo, capaz de tirar a vida sem qualquer arrependimento. Assim, durante mais de 20 anos, e sem que ninguém do seu círculo íntimo alguma vez desconfie, ele torna-se responsável pela morte de mais de cem pessoas, todos homens. Até que, um dia, apesar da sua crueza e organização quase maníaca, deixa uma pista que ditará o seu próprio destino: a pena perpétua.  

Realizado por Ariel Vromen, com Michael Shannon, James Franco, Ray Liotta e Winona Ryder nos principais papéis, um “thriller” psicológico baseado na verdadeira história de Kuklinski, relatada na obra "The Iceman: The True Story of a Cold-Blooded Killer", escrita por Anthony Bruno, e no documentário "The Iceman Tapes: Conversations with a Killer", de Jim Bhebaut. Entre os anos de 1948 e 1986, Richard Leonard Kuklinski matou, a sangue-frio, mais de uma centena de pessoas, acabando por falecer, já a cumprir pena perpétua, a 5 de Março de 2006, aparentemente de causas naturais. [cinecartaz.publico.pt]

 

“Phantom – o submarino fantasma”

Sinopse:

Depois de regressar de uma longa e difícil missão em alto mar, o capitão Dmitri "Demi" Zubov é imediatamente obrigado a aceitar o comando do submarino B-76, uma embarcação soviética antiga, munida de um poderoso míssil nuclear. Preocupado com a decisão dos seus superiores, que o forçam a integrar uma tripulação que não é a sua, Dmitri questiona-se sobre as razões dessa escolha. Porém, quando o submarino se começa a aproximar de território norte-americano, ele compreende o propósito daquela missão: lançar um míssil contra os EUA fazendo parecer um ataque vindo de um navio chinês, dando início a uma guerra entre as duas nações. Com o destino de milhões nas suas mãos, Dmitri terá de confiar na sua capacidade de discernimento, de modo a encontrar homens de confiança que o ajudem a evitar uma catástrofe mundial… 

Com argumento e realização de Todd Robinson (“Corações Solitários”), um “thriller” claustrofóbico inspirado num evento real acontecido em plena Guerra Fria. No elenco encontramos Ed Harris, David Duchovny e William Fichtner.  [cinecartaz.publico.pt]

 

“Hóspedes indesejados”

Sinopse:

Depois de mais de 100 anos de atividade, o velho e antiquado hotel Yankee Pedlar Inn, situado em Nova Inglaterra (EUA), está prestes a encerrar as suas portas. Há quem acredite que está povoado de almas penadas, algo que, até agora, nunca ninguém conseguiu provar. Por esse motivo, e antes que o edifício seja destruído para sempre, Claire e Luke (Sara Paxton e Kelly McGillis), os únicos empregados que ainda se mantêm no hotel, estão decididos a provar que os rumores sobre a assombração têm razão de ser. Assim, à medida que aprofundam as suas investigações, os dois descobrem que aquele local sombrio, para além de ter sido palco de histórias terríveis e mortes atrozes, parece ter uma vida própria. Agora, percebendo demasiado tarde que se deixaram levar pela curiosidade, para eles apenas haverá lugar para o arrependimento...

Escrito e realizado por Ti West, um filme de terror inspirado numa história real. [cinecartaz.publico.pt]

 



publicado por bibliotecadafeira às 17:14
link do post | comentar | favorito

a biblioteca na Internet
homepage
catálogo
catálogo rcbe
facebook
contactos
mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28


posts recentes

Caros (as) leitores (as),

Autor da semana: Miguel M...

Estreias - cinema

Na mesa dos poetas

Sugestão de leituras

Músico da semana: Eric Cl...

Autor da semana: Flávio C...

Estreias - cinema

Na mesa dos poetas

Sugestão de leituras

Autor da semana: Afonso C...

Estreias - cinema

Juan Gelman: 1930 - 2014

Sugestão de leituras

Músico da semana: Bruce S...

Autor da semana: Gastão C...

Estreias - cinema

Na mesa dos poetas

Sugestão de leituras

Músico da semana: Juana M...

Autor da semana: Mário Za...

Estreias - cinema

Músico da semana: Anna Ca...

Autor da semana: José Ben...

Aviso

Músico da semana: Gisela ...

Autor da semana: Maria Ve...

Estreias - cinema

Na mesa dos poetas

Sugestão de leituras

tags

todas as tags

arquivos

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

links
subscrever feeds